Fundo foi criado no âmbito da prioridade diocesana à pastoral social

O Fundo Diocesano de Apoio a Crianças em extrema pobreza, criado em dezembro de 2016, socorreu em 2017 12 crianças, apoiando-as essencialmente no pagamento de cuidados médicos, disse ao Igreja Açores o ecónomo da diocese, Cónego António Henrique Pereira.

O fundo foi criado diretamente pelo bispo de Angra, D. João Lavrador, no final do ano de 2016, como resposta “às carências evidenciadas por inúmeras crianças” que pelo facto das famílias não terem possibilidade se “veem privadas de cuidados fundamentais ao seu desenvolvimento”, referia na altura o prelado ao Igreja Açores.

Face a esta situação o prelado entendeu que, atendendo à prioridade da pastoral social, a diocese não poderia ficar indiferente. Por isso convidou todos os diocesanos “pessoas de boa vontade” a contribuírem para este fundo seja através de uma transferência bancária seja através de um donativo enviado para a diocese.

Este fundo diocesano é uma “ajuda supletiva às comunidades paroquiais que tenham no seu seio crianças nestas situações e para as quais não tenham solução”.

O recurso a este fundo é feito pelo pároco da paróquia que sinta esta necessidade que deve dirigir uma carta ao bispo de Angra que depois despachará o pedido na totalidade ou parcialmente consoante a sua apreciação e os valores em causa.

“As despesas asseguradas até agora são maioritariamente no campo da saúde, nomeadamente óculos e higiene dentária”, refere o Cónego António Henrique Pereira.

Recorde-se que a diocese tem igualmente implementado o Fundo Diocesano de Solidariedade, que é gerido pela Cáritas diocesana e que pretende acudir a situações inesperadas de dificuldade das famílias, desde 2011.