A capa foi apresentada esta manhã, no espaço que acaba de ser inaugurado depois das obras de restauro

A imagem do Senhor Santo Cristo dos Cristo sairá à rua este ano, com uma capa oferecida por uma emigrante no Canadá foi hoje revelado durante a conferência de imprensa que decorreu no Coro Alto do Convento da Esperança que acaba de ser restaurado.

Na ocasião, o reitor do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres, Cónego Adriano Borges, explicou que a capa deste ano foi “oferecida pela senhora Maria Manuela Pereira, emigrante no Canadá, em agradecimento pelas muitas graças recebidas do Senhor Santo Cristo dos Milagres”.

A capa é em veludo vermelho, como a maioria das capas do Senhor Santo Cristo e foi executa na Cooperativa de Artesanato de Nossa Senhora da Paz em Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel.

As festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres decorrem entre os dias 24 e 30 de maio e serão presididas pelo núncio apostólico da Arménia e da Geórgia, o arcebispo D. José Avelino Bettencourt, natural de São Jorge e diplomata da Santa Sé.

Amanhã à noite haverá a abertura das luzes na fachada da Igreja e do Convento, numa celebração no adro, presidida pelo bispo de Angra, D. João Lavrador, que hoje também esteve presente na conferência de imprensa.

No sábado, dia 25, as atenções centram-se no Campo de São Francisco onde decorre a procissão da mudança da imagem, da parte da tarde, momento único para milhares de peregrinos cumprirem as suas promessas.

É nesta altura que a imagem é entregue à Irmandade pelas religiosas de Maria Imaculada, zeladoras da Imagem do Ecce Homo, durante todo o ano.

A irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres será a guardiã da imagem nas 24 horas seguintes, sendo responsável por todas as celebrações, nomeadamente, a mudança da imagem do convento para a Igreja de São José, à noite, para a vigília de oração e depois pelo seu regresso ao Convento para a missa campal de domingo.

Segue-se a Procissão solene pelas principais ruas de Ponta Delgada, passando por todas as ermidas e conventos do centro histórico da cidade, num percurso que demora sensivelmente quatro horas a ser feito.

A procissão termina no campo de São Francisco e nessa altura a Imagem é “devolvida” às irmãs que zelarão por ela durante todo o ano, ficando exposta no Coro Baixo do Convento da Esperança.

A capa foi apresentada no Coro Alto da Igreja do Convento da Esperança que acaba de ser reaberto ao publico depois de vários meses em obras de conservação e restauro.

O espaço alberga um vasto património de objetos pessoais de devoção, levados pelas irmãs Clarissas ao longo de vários séculos, e foi alvo de uma intervenção de conservação e restauro, iniciada em setembro .

Ao todo foram restaurados 14 oratórios, três retábulos, dois portais, quatro pinturas de cavalete, outras quatro, integradas na Capela dos Passos, de menores dimensões e de estrutura oval, 14 esculturas de roca e 24 esculturas de vulto.