Além da organização das Festas do Senhor Santo Cristo, a Irmandade tem uma ação sócio-caritativa

A irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres,  que celebra 252 anos, tem como principal missão organizar as festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres mas durante todo o ano desenvolve uma ação sócio-caritativa apoiando famílias carenciadas.

Atualmente a Irmandade garante o apoio mensal a 30 famílias, e todas as semanas oferece 240 pensões de carne que entrega nas paróquias da cidade de Ponta Delgada para as famílias mais carenciadas e, ainda, apoia uma jovem estudante de medicina oriunda de Ponta Delgada e que está a estudar em Coimbra.

“A mesa da irmandade entende que tem esta missão social, obrigando-se a apoiar quem mais necessita” referiu ao Igreja Açores o atual provedor, Carlos Faria e Maia, que há cinco anos lidera esta Irmandade.

“Procuramos estar sempre unidos à reitoria do Santuário de forma a podermos desenvolver esta ação sócio-caritativa de uma forma mais permanente” disse ainda o provedor.

A irmandade do Senhor Santo Cristo conta com  600 irmãos mas todos os que “vierem são benvindos” refere o provedor.

“Ao contrário do que possam pensar não somos uma irmandade fechada e todos os que quiserem colaborar connosco são sempre benvindos”, precisa Carlos Faria e Maia.

A Irmandade do Senhor Santo cristo foi fundada em abril de 1765 e desde essa data é a principal responsável pela organização das maiores festas religiosas dos Açores, que arrancam hoje em Ponta Delgada, em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres, um culto que leva mais de 300 anos a ser celebrado em São Miguel.

A Irmandade nasceu por iniciativa do Comandante Geral da Ilha de São Miguel, sargento-mor António Borges Bettencourt e ficou encarregue de todos os anos organizar a procissão solene e hoje além dessa procissão iniciada pela Madre Teresa da Anunciada, é também responsável pela mudança da imagem, missa campal, iluminação decorativa e arraial popular.

A  Irmandade é uma associação de fiéis, de fins não lucrativos, constituída na ordem jurídica canónica, sedeada no Convento da Esperança, reconhecida como instituição particular de solidariedade social. Tem por objeto praticar a solidariedade, especialmente no apoio à família, e realizar atos de culto ao Senhor Santo Cristo, ainda hoje, como há 252 anos.