Marcelo Rebelo de Sousa mostra-se «muito feliz» com decisão do Papa Francisco

O presidente da República afirmou hoje que a decisão do Papa de convocar a Jornada Mundial da Juventude para Lisboa, em 2022, é uma “vitória de Portugal”, da “língua portuguesa e da lusofonia, confirmando desde já a sua presença.

“Estou muito feliz, estamos muito felizes. Valeu a pena! Lá estaremos em 2022”, disse Marcelo Rebelo de Sousa numa declaração para a Agência ECCLESIA e a Renascença.

O presidente da República considera que a realização da JMJ em 2022 em Lisboa é  uma “vitória de Portugal, do povo católico português, vitória da Igreja Católica, vitória também do episcopado”, dirigindo uma palavra a D. Manuel Clemente que “tanto lutou por isto.

Marcelo Rebelo de Sousa disse também que o anúncio da JMJ em Portugal é uma “vitória da língua portuguesa e da lusofonia”.

“Na discussão do Vaticano, um ponto essencial era a abertura à África, continente onde nunca houve estas jornadas”, considerou o chefe de Estado de Portugal.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, Portugal é o país que constitui a “melhor plataforma giratória para todos os continentes e sobretudo para a África”, possibilitando a participação de “muitos peregrinos, muitos jovens”

“Isso foi um argumento decisivo”, afirmou o presidente da República Portuguesa.

“Conseguimos! Conseguimos, Portugal, Lisboa! Esperávamos, desejávamos, conseguimos”, festejou Marcelo Rebelo de Sousa.

 

D. Manuel Clemente

 

O cardeal-patriarca de Lisboa afirmou hoje que a realização da Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, em 2022, é uma “excelente notícia” e a concretização de um sonho da Igreja Católica em Portugal, de “há muito tempo”.

“É uma excelente notícia e é também uma feliz confirmação de algo que já esperávamos há muito tempo em Portugal, porque as nossas 20 dioceses há muito tempo têm este sonho de ver uma Jornada Mundial da Juventude em Portugal, como será em Lisboa”, disse D. Manuel Clemente à Agência ECCLESIA e à Renascença.

Para o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, a realização da JMJ em Lisboa sinaliza também “um grande dinamismo” da juventude católica que, “de ano para ano, manifesta ainda mais o gosto de ter um acontecimento destes”.

Toda a gente lá vai estar com gosto e empenho e vamos fazer todo o possível para que corra de uma maneira fabulosa. Tão fabulosa como foi esta feliz notícia que o Papa Francisco nos acaba de dar: Lisboa, 2022, Jornada Mundial da Juventude”, concluiu o cardeal-patriarca.

 

Conferência Episcopal Portuguesa

 

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) reagiu hoje com “grande alegria” ao anúncio de que a próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) vai decorrer em 2022, na cidade de Lisboa.

O porta-voz do episcopado, padre Manuel Barbosa, destaca em comunicado que este é um acontecimento “em que a Igreja em Portugal, e de modo particular o Patriarcado de Lisboa, conta com o apoio da Presidência da República e a colaboração das entidades governamentais e autárquicas”.

“A JMJ vai envolver todas as Dioceses do país ao longo dos próximos três anos e meio na sua preparação, constando de encontros de oração, celebração e reflexão, e de inúmeros acontecimentos a nível religioso e cultural. Culminará nos últimos dias com a presença em Lisboa de centenas de milhares de jovens vindos de todo o mundo, em celebrações presididas pelo Santo Padre”, assinala o secretário da CEP.

A nota oficial deixa votos de que Jornada Mundial da Juventude em Portugal seja “um forte momento de graça para todos os jovens renovarem o dinamismo da sua vocação, respondendo ao convite de Jesus Cristo a serem autênticos discípulos missionários na vida da Igreja e da sociedade”.

Do Panamá, o bispo de Bragança-Miranda reagiu ao anúncio com uma mensagem enviada à Agência ECCLESIA pelo secretariado diocesano das Comunicações Sociais: “Com o Papa Francisco queremos ser servidores da alegria dos jovens que são o agora da Igreja e do mundo. Eis-me aqui! Faça-se segundo o Evangelho”.

 

Presidente da Câmara de Lisboa

 

O presidente da Câmara de Lisboa disse hoje no Panamá que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que Portugal vai receber em 2022 faz do país “a capital da tolerância, da paz”.

Em declarações à Agência ECCLESIA, após o anúncio feito pelo Vaticano, no final da Missa conclusiva da JMJ 2019, o autarca destacou os valores universais de “paz e tolerância” propostos por esta iniciativa, que considera “de enorme importância”.

“Vai ser um grande momento, para os crentes, naturalmente, mas creio também para os que não são crentes, e se reveem nesses valores, particularmente neste momento em que o mundo atravessa momentos tão negros, tão turbulentos: Lisboa vai ser a capital da tolerância, da paz, da juventude, da esperança. Vamos fazer umas jornadas extraordinárias, por certo”.

A Câmara Municipal divulgou um vídeo, através da sua página da rede social Facebook, em que assume o desejo de que a cidade seja “o palco das melhores e das maiores” JMJ.

“Vai mesmo acontecer, em 2022 Lisboa vai ser a capital de milhões e milhões de jovens, da partilha da fé, também dos sentidos de humanidade, de comunidade, de tolerância”, diz Fernando Medina, num vídeo gravado com jovens portugueses gravado no Panamá.

O responsável destaca que o Papa Francisco é hoje uma referência “naturalmente para os crentes” mas também “para todo o mundo”, para todos que “acreditam e creem no sentido da humanidade, da dignidade da pessoa humana”, da importância do combate às alterações climáticas e “preservação do planeta”.

“Uma grande referência moral do nosso tempo”, salientou ainda.

Neste contexto, o edil pediu que se faça das Jornadas Mundiais da Juventude de 2022 uma “grande mobilização” da cidade de Lisboa, dos jovens, da diocese, das associações, das empresas, “de todos na cidade, da região e país” para serem “a capital do humanismo, da tolerância e da dignidade”.

Fernando Medina manifestou “grande alegria e grande orgulho” no vídeo publicado depois da capital portuguesa ter sido anunciada como local escolhido para a próxima edição internacional do encontro mundial de jovens promovido pela Igreja Católica.

 

O Governo

 

O Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, saudou hoje com “enorme entusiasmo” o anúncio feito pelo Papa Francisco de que a diocese de Lisboa irá acolher a Jornada Mundial da Juventude, em 2022.

“Foi com um enorme entusiasmo que recebi a notícia dada pelo Papa Francisco que Portugal vai receber, em 2022, as Jornadas Mundiais da Juventude”, afirmou à Agência ECCLESIA o responsável pelas pastas da Juventude e do Desporto, no atual governo.

João Paulo Rebelo assinala a “importante Jornada” que a Igreja Católica organiza e a “participação” juvenil em eventos semelhantes.

“Essa tem sido uma das minhas palavras-chave, enquanto Secretário de Estado da juventude, apelar e convocar os jovens à participação. Não podia estar mais satisfeito com esta notícia”, resume.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o Secretário de Estado tinha valorizado o esforço do Papa Francisco e da Igreja Católica em envolver os jovens na participação política.

“Tenho consciência de que a Igreja Católica e o Papa Francisco, particularmente, têm colocado um acento tónico nas questões da participação da juventude, e da participação política, e isso casa perfeitamente com a agenda do governo na pasta da juventude”, observou.

 

(Com Lusa e Ecclesia)