Jornadas diocesanas no grupo central envolvem jovens das ouvidorias do Pico e do Faial

“Ser + em Igreja: todos em missão” é o lema e o mote proposto pelo Serviço Diocesano de Apoio à Pastoral Juvenil para a realização das I Jornadas Diocesanas de Pastoral Juvenil que arrancaram na segunda feira no Faial, sendo desenvolvidas em 4 “pegadas” (etapas), correspondendo cada “pegada” a uma ilha diferente.

Estas Jornadas Diocesanas de Pastoral Juvenil são consequência prática do I Congresso Diocesano de Juventude celebrado em Junho/Julho do ano passado em São Miguel, no qual os jovens participantes apontaram a necessidade de mais formação na área da Pastoral da Juventude, de forma a capacitá-los para um maior e melhor envolvimento e compromisso na vida concreta das suas Comunidades/Grupos e, consequentemente, da Igreja.

A primeira “pegada” destas Jornadas terminou ontem no Faial, com duas sessões na ilha e prolongam-se hoje e amanhã na ilha do Pico, com a segunda “pegada”.

Estas duas “pegadas” culminam com a realização do I Retiro Shalom Diocesano, na ilha do Pico, de 25 a 27 de Janeiro, que já conta com 45 inscritos.

Embora abertas à participação de todo o Povo de Deus, estas I Jornadas “pretendem ter como primeiros destinatários não apenas os jovens mas, sobretudo, animadores de Pastoral Juvenil, nomeadamente animadores de Grupos de Jovens, chefias de Escuteiros, catequistas da 4ª fase da Catequese e outros Coordenadores/Animadores de Movimentos e Obras de Apostolado ligados à juventude” refere a última edição do jornal Afetos publicada no Diário dos Açores e aqui no Sitio Igreja Açores.

“Como não podia deixar de ser, as conclusões do I Congresso Diocesano de Juventude e as propostas/ pedidos formulados pelos jovens serão o “prato” forte destas I Jornadas Diocesanas de Pastoral Juvenil” acrescenta o semanário.

“Mais que analisá-las, tecer considerações ou fazer uma reflexão, a preocupação maior é transpô-las para o concreto da vida pastoral com os jovens” esclarece sublinhando que “estas Jornadas serão um tempo de escuta, proximidade mas, sobretudo, de concretização”.

Após a realização destas duas “pegadas”, nas ilhas do Faial e do Pico, caberá às ilhas das Flores e de São Miguel acolherem as duas seguintes “pegadas”, em Fevereiro, Março e Abril, respetivamente.