Dia Mundial da Juventude assinalado em todas as ouvidorias com vigílias de oração e atividades lúdico culturais

A juventude açoriana está alinhada com o Papa Francisco e quer Ser +Igreja. No fim de semana em que se comemora o Dia Mundial da Juventude os jovens insulares vão desdobrar-se em várias atividades entre Vigílias de oração, na noite de sábado, dia 13 de abril e atividades pastorais, lúdicas e culturais onde vão por à prova o seu compromisso com a Igreja diocesana.

Depois do primeiro congresso diocesano de juventude, do Sínodo sobre os jovens, a igreja e a fé, e da exortação pós-sinodal “Cristo Vive”, lançada pelo Papa Francisco na passada semana, o diretor do Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil, Pe. Norberto Brum, esta “é a hora de congregar os jovens” e alterar procedimentos dentro da Igreja.

Os desafios “são grandes” e a “primeira grande mobilização terá de ser da Igreja” que terá “de ser capaz de entusiasmar os jovens”.

“A criação de líderes entre a juventude é fundamental, porque a evangelização dos jovens tem de ser feita pelos jovens” afirma dizendo que “a grande preocupação não devem ser as massas mas o núcleo que nos é mais próximo para que este núcleo possa ser fermento para juntar a outros”. Por isso, acrescenta, “não podemos perder esta boleia”. Referindo-se ao contexto da Igreja em geral- um sínodo sobre a juventude, agora um documento e depois a Jornada Mundial da Juventude de Lisboa- “é necessário mobilizarmos mas temos de fazer um caminho de discernimento e de acompanhamento dos jovens”.

O Dia Mundial da Juventude é sempre um momento alto de compromisso dos jovens mas “é preciso ir mais além”, refere ainda o sacerdote numa entrevista que pode ser ouvida aqui no sitio Igreja Açores.

Sábado à noite em Ponta Delgada haverá a “Noite de Juventude”. A recém criada Equipa da Pastoral Juvenil e Vocacional da ouvidoria de Ponta Delgada, liderada pelo Padre Bruno Espínola, pároco dos Ginetes e capelão militar, vai promover a “Noite Mundial da Juventude 2019” na Covoada, entre as 17h00 e as 24h00 do dia 13 de abril.

De acordo com uma nota a que o Igreja Açores teve acesso a iniciativa dirige-se a todos os jovens, sobretudo aos grupos de jovens, grupos do 10º ano de catequese, aos agrupamentos de escuteiros e a outros. Cada Paróquia, na celebração da Via-Sacra, terá o compromisso de apresentar uma estação. Haverá um jantar partilhado devendo cada jovem levar algo que possa partilhar com os outros.

Na Terceira as atividades começam com uma Vigília de Oração, este sábado, na Paróquia das Quatro Ribeiras, organizada pelo grupo de jovens ‘Oásis da Esperança’.

No dia 14, Domingo de Ramos, o encontro continua na Ribeirinha, orientado pelo Grupo de Jovens Mensageiros da Palavra’, e do programa constam workshops destinados à promoção de voluntariado (15h30), depois da conferência a ‘Importância do voluntariado’ pela socióloga Tânia Ferreira, às 15h00, o concurso de Dança, Música e Teatro, compromisso dos grupos e a celebração Eucarística.

O Serviço da Pastoral Juvenil da Ilha Terceira informa que a atividade “é aberta a todos os grupos de jovens da ilha que atingem as três dezenas”.

Na Ilha do Faial, a Jornada Diocesana da Juventude começa também este sábado, com “uma vigília com fogo de conselho”, com os escuteiros, às 20h00, na igreja do Carmo, na Horta.

“A realidade desta ilha, e julgo que de todas as ilhas mais pequenas, com menos jovens, faz com que não envolvamos apenas os grupos de jovens mas tenhamos uma especial atenção a todos os jovens que já participam noutros movimentos da Igreja”, contextualizou o padre Nelson Pereira.

As atividades continuam no domingo, dia 14, com a procissão e bênção de Ramos, com jovens de diferentes movimentos de apostolado, às 15h00, na mesma igreja.

“O objetivo é agregar todos os jovens numa grande parceria com o CNE e com outros movimentos. Conseguimos assim congregar muitos jovens para celebrar a sua fé, especialmente nestes dias”, acrescentou o sacerdote do Serviço da Pastoral Juvenil da ilha do Faial.

As Jornadas Diocesanas da Juventude são celebradas mundialmente nas dioceses católicas no Domingo de Ramos, ou numa data próxima, e a cada dois ou três anos realiza-se um encontro de jovens, de âmbito internacional numa grande cidade, que vai chegar a Lisboa em 2022; Já se realizaram 14 edições em quatro continentes.

O acontecimento religioso e cultural que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana que nasceu por iniciativa de São João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.