Vigília de oração marca arranque da jornada diocesana da juventude, em Ponta Delgada, que celebra São João Paulo II.

São João Paulo II vai ser recordado este domingo com a realização de uma jornada da juventude que vai revisitar todos os lugares de Ponta Delgada por onde o Papa passou há 23 anos, numa iniciativa do Serviço Diocesano da Pastoral da Juventude.

 

Neste Domingo do Bom Pastor, em que a igreja diocesana está em festa para celebrar simultaneamente as ordenações de dois novos diáconos com vista ao sacerdócio, a instituição de dois jovens seminaristas nos ministérios laicais e o arranque da Semana da Vida, os jovens de São Miguel saem à rua para transportarem uma réplica da cruz que São João Paulo II lançou ao mundo, enquanto papa, nas jornadas da juventude e que esteve nos Açores em 2010.

 

“Queremos fazer de João Paulo II uma presença, sobretudo a partir da mensagem que ele nos deixou: não tenhais medo de ser santos e atualizar essa mensagem. Mais do que recordar uma visita queremos recordar uma palavra e torna-la presente no nosso dia a dia”, disse ao Portal da Diocese o responsável pelo serviço diocesano de apoio à pastoral da juventude, Pe Norberto Brum.

 

A concentração tem lugar na Rotunda da Autonomia, em Ponta Delgada, São Miguel, e daí segue em “procissão” para o Campo de São Francisco onde será realizada uma eucaristia solene, junto ao Forte de São Braz, lugar onde João Paulo II celebrou a palavra, no dia 11 de maio de 1991, diante da imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres que, pela primeira e única vez, saiu do Santuário fora da sua época festiva.

 

“A cruz que ele lançou ao mundo para as jornadas da juventude foi reproduzida por nós no sentido de a tornarmos presente nas nossas vidas por tudo aquilo que ela simboliza” sublinha ao Portal da Diocese o responsável pelo departamento de formação do serviço de apoio à pastoral juvenil, João Paulo Medeiros que recorda São João Paulo II como o papa que “lançou os valores de uma igreja jovem e alegre, aberta ao mundo, sem medo”.

 

Ao fazê-lo “estamos a tocar numa marca: João Paulo II tornou-se uma marca de generosidade e de amor”, frisa Norberto Brum.

 

“Mais do que fazer memória queremos ter presente” lembra o sacerdote que diz que hoje, mais do que nunca, os jovens e a humanidade em geral “ precisam de um rosto humano de Deus”.

 

“João Paulo II é esse rosto. A sua mensagem já nos tocou e queremos que ela nos continue a tocar e possa tocar fundo nas nossas vidas de modo a que nunca tenhamos medo e, sobretudo, tenhamos metas altas, porque os nossos caminhos devem cruzar-se com os de Cristo”, destaca o sacerdote.

 

Os jovens recordam João Paulo II como “um bom pastor”, que nunca “abandonou o rebanho”, mesmo na adversidade e “é este modelo de fidelidade que faz dele um pastor ímpar e do qual nós precisamos hoje, não só o clero, os bispos, os sacerdotes, mas para nós homens e mulheres jovens ou não jovens”.

 

Este sábado os jovens envolvidos neste projeto realizaram uma vigília de oração na Igreja do Colégio, em Ponta Delgada. Durante duas horas e depois da bênção da réplica da Cruz das jornadas mundiais da juventude, os jovens testemunharam a sua caminhada cristã e, entre cânticos, e a leitura de excertos da homilia de João Paulo II em Ponta Delgada, agradeceram pelas suas vidas.

 

“Hoje os jovens precisam de santos que vão ao cinema, ao teatro, que amem e se deixem amar, que bebam coca-cola e que sejam normais” disse uma das jovens que testemunhou nesta vigília pedindo a Deus que a ajude nesta caminhada de santidade, inspirada em São João Paulo II, o papa “que com o seu olhar disse: não tenhais medo… abri…escancarai os vossos corações a Cristo”.

 

Ao mesmo tempo, realizava-se uma vigilia de oração pelas vocações na Ribeirinha, na ilha Terceira. Vários grupos de jovens reuniram-se em oração de ação de graças pelas duas ordenações diaconais que a Diocese de Angra vai celebrar este domingo.