131 casais celebraram a sua união por Igreja este ano

O número de matrimónios celebrados nas igrejas açorianas este ano já totaliza os 131, mais 7 do que durante todo o ano de 2020, em que se registaram 114 casamentos. Ainda assim um número bem diferente do registado em 2019, ano em que 410 casais deram o seu sim para a vida toda.

Este ano o Curso de Preparação para o Matrimónio(CPM) tem decorrido de forma faseada e localizada por zonas na ilha Terceira, para evitar a junção de muitos casais, referiu ao Igreja Açores, cónego Gregório Rocha.

O sacerdote, que é o responsável pelo CPM na ilha Terceira refere que esta alteração do modelo, concentrado num fim de semana, num só espaço para partilha de experiências e conhecimentos, teve de ser alterado para facilitar a participação de todos , respeitando as regras do distanciamento em tempo de pandemia.

Este mês de junho, o vídeo do Papa é sobre a beleza do matrimónio.

Francisco afirma que “casar e partilhar a vida é algo maravilhoso” e convida a rezar, durante este mês de junho, pelos jovens que se preparam para “o matrimónio com o apoio de uma comunidade cristã”.

“Rezemos pelos jovens que se preparam para o matrimónio com o apoio de uma comunidade cristã, para que cresçam no amor, com generosidade, fidelidade e paciência”, pede Francisco, no vídeo com a intenção de oração para este mês.

O Papa realça que o casamento “não é apenas um ato ‘social’ mas uma vocação que “nasce do coração”, é uma decisão consciente “para toda a vida, que exige uma preparação específica”.

“Deus tem um sonho para nós, o amor, e pede-nos que o tornemos nosso. Façamos nosso o amor que é o sonho de Deus”, explica.

Para o cónego Gregório Rocha este deve ser um desafio aceite pelos jovens.

“ O intuito do Papa é despertar as comunidades para acolher os casais; levar as comunidades a sentirem-se corresponsáveis pela oração, perante este grande desafio que é viver o amor”.

“ O matrimónio é uma caminhada que exige paciência, entrega e compromisso para abraçar este projecto de amor de Deus.   O casal humano é o espaço mais visível onde se pode concretizar o amor de Deus”, adianta ainda o sacerdote que é o diretor espiritual no Seminário Episcopal de Angra.

Francisco salienta que “casar e partilhar a vida é algo maravilhoso”, é uma viagem trabalhosa, por vezes difícil, chega a ser conflituosa, “mas vale a pena animar-se”.

“Nesta viagem de toda a vida, a esposa e o esposo não estão sozinhos, Jesus acompanha-os”, refere.

“Viver o sonho que Deus tem para nós – o amor – pede apoio e acompanhamento da comunidade”, realça o cónego Gregório Rocha.