A biografia do antigo patriarca das Indias Orientais é da autoria da jornalista açoriana Maria Guiomar Lima e vai ter lançamento no âmbito das festas do Bom Jesus do Pico A jornalista Maria Guiomar Lima vai lançar, esta terça feira, em São Mateus, na ilha do Pico, a obra “Nascido para Vencer”, uma biografia sobre o antigo cardeal D. José da Costa Nunes, “uma personagem da igreja portuguesa e do mundo”.

A obra que já foi lançada em Macau e em Lisboa fala do percurso e do estatuto deste protagonista igreja católica em Macau, Malaca, Singapura, Timor e Índia.

“É açoriano, eu também sou, e tenho uma grande admiração por ele. (…) E também é uma personagem da igreja portuguesa e do mundo”, disse Maria Guiomar Lima, em declarações à agência Lusa, ao justificar o interesse pelo cardeal D. José da Costa Nunes.

“Nascido para Vencer” surge depois de, em dezembro de 2010, a autora ter publicado a biografia de D. José Vieira Alvernaz. Bispo de Macau, patriarca das Índias Orientais e cardeal, D. José da Costa Nunes nasceu a 15 de março de 1880 na Candelária do Pico, nos Açores, e morreu em Roma, a 29 de dezembro de 1976, aos 96 anos.

Maria Guiomar Lima seguiu a vida e obra do religioso, através dos “livros, dos jornais e dos arquivos” — incluindo os Arquivos Nacionais da Torre do Tombo, Arquivo Histórico Ultramarino e Arquivo Histórico Diplomático.

Para a antiga jornalista do Diário de Notícias, Diário de Lisboa, e de O Independente, “a grande descoberta” no percurso de D. José da Costa Nunes foi Timor-Leste.

D. José da Costa Nunes “adorava as pessoas de Timor”, acrescentou maria Guiomar Lima, salientando que os esforços do eclesiástico contribuíram para a criação da Diocese de Timor, criada na sequência do Acordo Missionário, e para a qual viria a ser nomeado o seu amigo D. Jaime Garcia Goulart, como primeiro Bispo de Díli. Já em Macau, a grande marca deixada por D. José da Costa Nunes foi, segundo a autora, ao nível da “renovação do ensino no seminário e nas escolas”.

O principal jardim de infância de matriz portuguesa na Região Administrativa Especial de Macau tem o nome do antigo bispo. Além disso, Maria Guiomar Lima destacou o legado cultural do antigo patriarca, tanto nas missivas que escrevia -de que é exemplo a Carta aos Sacerdotes da Arquidiocese de Goa, em meados dos anos 1950 – como nos jornais com que colaborou e fundou em Macau.

“Ele escrevia muito bem. Foi jornalista durante muito tempo, fundou o jornal Pátria e uma revista chamada Oriente em Macau. O que ele escreveu está reunido em 17 volumes. (…) Além do que ele deixou em Macau, ele deixou (um legado) no mundo”, afirmou Maria Guiomar Silva.

“Nascido para Vencer” é uma edição da Livros do Oriente e faz parte da coleção “Estudos de Documentos”.

A publicação desta biografia insere-se no plano editorial dos 25 anos da editora, iniciado com a publicação da nova edição, revista e ampliada, da Cronologia da História de Macau, de Beatriz Basto da Silva, lançada a 29 de janeiro.

D. José da Costa Nunes nasceu na Candelária, Ilha do Pico em 15 de Março de 1880. Foi Bispo de Macau (1920) e nomeado Arcebispo de Goa e Damão com o título de Patriarca das Índias Orientais, a 11 de Março de 1940. Em 1953 passou a fazer parte da Cúria Romana, como vice-carmelengo da Santa Sé. No Consistório de Março de 1962 foi elevado à dignidade cardinalícia, pelo Papa João XXIII. Os seus restos mortais foram transladados para a Igreja da Candelária em 27 de Junho de 1997.

CR/Lusa