Obras de restauro, depois do incêndio, demoraram ano e meio e contaram com o apoio do Governo e da população

A Igreja do Capelo, no Faial, vai reabrir completamente restaurada a 30 de maio, depois da recuperação feita na Sacristia e na Capela-mor. A obra, que rondou os 100 mil euros e que contou com a ajuda do Governo Regional dos Açores e da população, vai ser inaugurada pelo bispo de Angra, em domingo da Santíssima Trindade.

“Houve alguns contratempos que foram agravados pela pandemia que não só atrasou a obra mas obrigou a que usássemos o corpo principal da Igreja mesmo durante as obras pois a do Norte Pequeno acabou por ser demasiado pequena para as celebrações no tempo da pandemia”, adiantou ao Igreja Açores o padre Fábio Carvalho.

“O esforço e o empenho de todos ajudo-nos muito “ esclarece ainda o pároco que adianta o programa desta inauguração: às 15h00 recepção ao bispo de Angra; D. João Lavrador, seguido da recitação do Rosário, com os três Impérios da paróquia e a Eucaristia às 16h00.

Um incêndio deflagrou ao principio da noite do dia 4 de janeiro de 2020 que provocou danos estruturais na sacristia e no tecto da Capela-mor.

A Igreja de Santa Ana é um templo edificado no século XVII, mais propriamente em 1680 e veio substituir outro templo mais antigo, datado de 1600, que havia sido destruído pela crise vulcânica de 1672. É de referir que a erupção do Vulcão dos Capelinhos, ocorrida em 1957 também causou danos de monta nesta igreja, sem a destruir. Este templo apresenta-se dotado com apreciáveis dimensões e nela destacam-se os trabalhos feitos em cantaria de pedra basáltica de cor negra.

No último sismo forte que danificou grande parte do património religioso faialense, esta foi uma das igrejas poupadas, com menos danos estruturais.