Francisco apela à Misericórdia para combater esta “terceira guerra mundial”

O Papa afirmou na audiência deste sábado que a “Misericórdia é o primeiro e o mais verdadeiro remédio para o Homem” perante uma assembleia de sete mil funcionários e familiares das Ferrovias do Estado Italiano.

Francisco citou a abertura da Porta Santa da Caridade no albergue, esta sexta-feira, que fica nas proximidades da Estação Termini de Roma. Administrada pela Caritas diocesana, a estrutura foi completamente reformada em parceria com as Ferrovias do Estado Italiano.

“Que o Ano Santo nos ensine, antes de tudo, que a misericórdia é o primeiro e o mais verdadeiro remédio para o Homem, do qual todos necessitam urgentemente. Quanto é capaz de curar uma carícia misericordiosa!

Esta flui de modo contínuo e superabundante de Deus, mas devemos também nos tornar capazes de doá-la reciprocamente, para que cada um possa viver em plenitude a sua humanidade”, disse.

O Papa agradeceu a todas as pessoas que trabalharam duramente para realizar a rede ferroviária na Itália e, de maneira especial, recordou os operários que morreram ao realizar este trabalho no decorrer dos anos.

No seu discurso Francisco explicou ainda que, “quem atravessar a Porta Santa da Caridade com amor, encontrará perdão e consolação, e será impulsionado a doar e a doar-se com mais generosidade”.

“Deixemo-nos envolver pelo Jubileu da Misericórdia, de modo a renovar o tecido de toda a sociedade, tornando-a mais justa e solidária, sobretudo nesta terceira guerra mundial que eclodiu aos pedaços e que a estamos vivendo”, exortou por fim o Papa.

CR/Ecclesia