Documento vai ser apresentado no domingo, início do Advento, junto ao local onde São Francisco de Assis fez a primeira representação do Natal

O Papa Francisco anunciou hoje que vai publicar uma carta sobre o significado do presépio, assinalando o início do tempo litúrgico do Advento, de preparação para o Natal, a 1 de dezembro.

“No próximo domingo começa o tempo litúrgico do Advento. Vou deslocar-me a Greccio, para rezar no lugar do primeiro presépio que São Francisco de Assis fez, e enviar a todo o povo crente uma carta para entender o significado do presépio”, disse, no final da audiência pública semanal, que decorreu na Praça de São Pedro.

Francisco deixou votos de que o Advento seja um tempo de “esperança” e de “serviço dos mais necessitados”.

No ano de 1223, São Francisco de Assis decidiu celebrar a Missa da véspera de Natal com os cidadãos de Assis de forma diferente: assim, em vez de ser celebrada no interior de uma igreja, foi celebrada numa gruta, que se situava na floresta de Grécio, perto da cidade.

O santo transportou para essa gruta um boi e um burro reais e feno, para além disto também colocou na gruta as imagens do Menino Jesus, da Virgem Maria e de S. José.

A 4 de janeiro de 2016, o Papa fez uma visita surpresa a Greccio, 100 quilómetros a norte de Roma, para rezar diante da representação do primeiro presépio.

Em 2018, ao receber as delegações das regiões italianas que ofereceram a árvore de Natal e o presépio da Praça de São Pedro, o Papa disse que estes sinais evocam a “ternura de Deus”.

“O presépio e a árvore, símbolos fascinantes do Natal, podem trazer às famílias e aos lugares de encontro um reflexo da luz e da ternura de Deus, para ajudar todos a viver a festa do nascimento de Jesus”, declarou.

Quanto ao inédito presépio feito com areia, Francisco observou que este material, “pobre, evoca a simplicidade, a pequenez com a qual Deus se mostrou com o nascimento de Jesus na precariedade de Belém”.

“O Menino Jesus, Filho de Deus e nosso Salvador, que depositamos no presépio é Santo em pobreza, pequenez, simplicidade e humildade”, explicou.

 

(Com Ecclesia)