Francisco sublinha importância da sabedoria e do equilíbrio na vida familiar, dirigindo-se também aos divorciados

O Papa pediu hoje no Vaticano que os pais assumam o seu papel na educação dos filhos, sem “autoexcluir-se” em favor dos “peritos”, sublinhando a importância da “sabedoria” e do “equilíbrio” na vida familiar.

“É tempo que os pais e as mães saiam do seu exílio – porque se autoexilaram da educação dos filhos -, que regressem do seu exílio e assumam de novo plenamente o seu papel educativo”, declarou, na audiência pública desta semana.

Perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro, Francisco lamentou que os pais recorram cada vez mais a especialistas para os “aspetos mais delicados e pessoais” da vida, pondo-se de parte.

“Assim, os pais correm o risco de autoexcluir-se da vida dos seus filhos e isto é gravíssimo”, alertou.

O Papa defendeu a importância da “sabedoria” e “equilíbrio” por parte dos pais, para que saibam acompanhar os filhos passo a passo e não exigir que percorram o caminho do crescimento sozinhos.

“Não exasperem as crianças pedindo o que elas não podem dar”, aconselhou.

Francisco dirigiu-se também às famílias com os pais separados, pedindo que os filhos não se tornem “reféns” de uma maledicência recíproca nem carreguem o peso da separação

“Digo-vos a vós, casais separados: nunca, nunca tomeis o filho como refém! Vós estais separados por causa de muitas dificuldades e motivos, a vida deu-vos esta prova, mas que não sejam os filhos aqueles que suportam o peso desta separação”, advertiu.

O Papa insistiu na necessidade de reforçar o “pacto educativo” entre família, sociedade e escola, recordando um episódio da sua infância, quando a mãe foi chamada à escola por causa de um episódio com a professora e o repreendeu.

Hoje, lamentou, os papéis inverteram-se, e são os pais que repreendem os professores.

No final da audiência, o Papa saudou todos os peregrinos de língua portuguesa, especialmente grupos do Brasil, Cabo Verde e Portugal.

“Supliquemos a vinda do Espírito santo sobre todos os educadores, em particular os pais, para que, com o seu exemplo, ajudem os mais jovens a crescer em sabedoria, estatura e graça. Que Deus vos abençoe”, concluiu.

CR/Ecclesia