Francisco defende atuação junto dos pobres e marginalizados

O Papa Francisco apelou hoje no Vaticano à valorização da dimensão comunitária na Igreja e na sociedade, em particular junto dos que mais sofrem.

“Que a Igreja seja mistério de comunhão, que seja sempre uma Igreja comunidade, comunidade-hospital, onde cada pessoa, especialmente a pobre e marginalizada, possa encontrar acolhimento e sentir-se filha de Deus, querida e amada”, pediu, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação do ângelus.

Francisco apresentou uma reflexão a partir da festa da Santíssima Trindade, que a Igreja Católica celebra hoje, recordando “o mistério do Deus único em três Pessoas”.

“A Trindade é comunhão de pessoas divinas, as quais são uma com a outra, uma pela outra, uma na outra: esta comunhão é a vida de Deus, o mistério do Deus vivo”, observou.

Neste sentido, o Papa disse que os católicos são chamados a reproduzir o modelo de comunhão trinitária, vivendo “o amor recíproco e para os outros, partilhando alegrias e sofrimentos”.

“Somos chamados a viver, não uns sem os outros, acima ou contra os outros, mas uns com os outros, pelos outros e nos outros”, precisou.

As comunidades eclesiais, sustentou Francisco, têm a missão de “evangelizar não só com as palavras mas também com a força do amor de Deus”.

Para assinalar a festa litúrgica deste dia, o Papa convidou os presentes, várias vezes, a fazer o sinal da cruz “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

A intervenção recordou ainda o final do mês de maior, particularmente dedicado à devoção à Virgem Maria: “Que ela nos ajude a amar o Senhor Jesus com todo o coração, para caminhar rumo à visão da Trindade, fim maravilhoso para o qual tende a nossa vida”.

Francisco associou-se à beatificação do padre francês Louis-Edouard Cestac, fundador das Irmãs Servas de Maria.

“O seu testemunho de amor a Deus e ao próximo é para a Igreja um novo estímulo a viver com alegria o Evangelho da caridade”, afirmou.

O encontro de oração concluiu-se com um convite do Papa à participação na procissão do Corpo de Deus, esta quinta-feira, entre a Praça de São João de Latrão e a de Santa Maria Maior, em Roma.

“Convido-vos desde já a participar neste solene ato público de fé e de amor a Jesus Eucaristia, presente no meio do seu povo”, disse Francisco.

CR/Ecclesia