O Papa divulgou hoje a sua intenção de oração para outubro, o tradicional “mês missionário” na Igreja, desafiando os católicos a um “testemunho de vida” que anuncie a fé aos outros.

“Rezemos para que cada batizado participe na evangelização e que cada batizado esteja disponível para a missão através do seu testemunho de vida. E que este testemunho de vida tenha o sabor do Evangelho”, refere Francisco, num vídeo publicado através da Rede Mundial de Oração do Papa.

No mês em que começa o percurso do Sínodo dos Bispos 2021-2023 e se celebra o Dia Mundial das Missões, o Papa pede que os batizados sejam “discípulos missionários”.

“Basta estarmos disponíveis ao seu chamamento e vivermos unidos ao Senhor nas coisas mais quotidianas: no trabalho, nos encontros, nas ocupações diárias, nas casualidades de cada dia, deixando-nos sempre guiar pelo Espírito Santo”, precisa.

Se Cristo te move, se fazes as coisas porque Cristo te orienta, os outros notarão isso facilmente. O teu testemunho de vida provocará admiração e a admiração fará com que os outros se perguntem: ‘Como é possível que seja assim?’ ou ‘De onde esta pessoa tira o amor com que trata os outros, a amabilidade, o bom humor?’”.

Francisco realça que esta missão não é “fazer proselitismo”, mas se baseia no “encontro entre as pessoas”.

O padre Frédéric Fornos, diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa, sublinha em comunicado enviado à Agência ECCLESIA que estas intenções de oração, “no contexto do Caminho Sinodal iniciado pela Igreja, como Povo de Deus, são um convite a discernir e reconhecer como o Espírito do Senhor chama a viver os desafios da humanidade e a missão da Igreja”.