O Papa alertou hoje no Vaticano para os “falsos pregadores” que deturpam o Evangelho, falando a centenas de peregrinos que participaram no reinício das audiências gerais.

“Não se pode negociar com a verdade do Evangelho”, destacou Francisco, no Auditório Paulo VI.

“A fé em Jesus não é uma mercadoria a negociar. É salvação, é encontro, é redenção. Não se vende a bom preço”, insistiu.

As audiências gerais estiveram suspensas no último mês, como é tradição no Vaticano, e nesse período o Papa foi submetido a uma intervenção cirúrgica para debelar um problema no cólon.

O encontro de hoje retomou o ciclo de catequeses que Francisco dedica à Carta de São Paulo aos Gálatas, uma jovem comunidade cristã, alvo de “desorientação” face a vários pregadores que exigiam o cumprimento da lei de Moisés, como os judeus.

“A pregação realizada pelos novos missionários, estes da novidade, não pode ser o Evangelho. Mais, é um anúncio que distorce o verdadeiro Evangelho porque impede de alcançar a liberdade – esta é uma palavra-chave – adquirida pela fé”, apontou.

O Papa destacou que São Paulo interveio de imediato para evitar “cedências num terreno tão decisivo”, porque o Evangelho é “um só e é aquele que ele anunciou”.

A reflexão recordou que Paulo era acusado de ser pouco “ortodoxo”, face à tradição judaica, mas sabia que a sua missão era anunciar “a novidade do Evangelho, que é uma novidade radical”.

“Não é uma novidade passageira: não há evangelhos ‘na moda’, o Evangelho é sempre novo, é novidade”, acrescentou.

Francisco alertou para alguns movimentos que pregam o Evangelho “à sua maneira”.

“Às vezes com carismas verdadeiros, próprios, mas depois exageram e reduzem todo o Evangelho ao movimento. E este não é o Evangelho de Cristo: este é o Evangelho do fundador, da fundadora – isso pode ajudar no início, mas no fim não dá frutos, porque não tem raízes profundas”, indicou.

No final do encontro, o Papa dirigiu uma saudação aos fiéis de língua portuguesa.

“Queridos irmãos e irmãs, ao retomarmos os nossos encontros semanais, hoje, memória de São João Maria Vianney, convido-vos a rezar de maneira especial pelos vossos párocos e por todos os sacerdotes. Que eles, inspirados pelo exemplo do Santo Cura D’Ars, ofereçam as suas vidas à missão de pregar o Evangelho da salvação. Deus vos abençoe”, declarou.

(Com Ecclesia)