D. Manuel Clemente enviou mensagem ao Conselho Presbiteral de Lisboa.

O patriarca de Lisboa mostrou-se hoje preocupado com as consequências sociais da crise, numa mensagem endereçada ao Conselho Presbiteral da diocese em que assinala o primeiro aniversário de tomada de posse.

 

“Por razões sobretudo financeiras, económicas e laborais, reduziram-se muitas possibilidades imediatas, em especial no trabalho, no rendimento e nas reformas, e esfumaram-se muitas aspirações de futuro, particularmente para jovens e desempregados de meia idade”, escreve D. Manuel Clemente.

 

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa fala em “casos difíceis e por vezes dramáticos” que têm “diretamente” a ver com a presente situação geral do país e “as muitas frustrações que ocasiona”.

 

“De 2013 para 2014, a sociedade em que nos inserimos continua a sofrer de alguns condicionalismos graves, que pesam muito sobre a generalidade das pessoas e das famílias”, realça o patriarca de Lisboa.

 

“Tudo isto nos ‘bate à porta’ na ação pastoral diária e nos desafia fortemente enquanto Igreja”, acrescenta.

 

Em relação à vida interna da Igreja, D. Manuel Clemente fala na necessidade de promover uma mudança, que não decorre unicamente da falta de clero, para fazer face “aos desafios do tempo e da sociedade global”, com base numa “irrecusável conversão missionária de tudo e de todos”.