Iniciativa ainda não tem a data de arranque mas já está a ser dinamizada junto de leigos e sacerdotes

A ouvidoria de Ponta Delgada vai arrancar já no inicio do novo ano pastoral com a primeira Escola de Formação Cristã de Ouvidoria, anuncia uma nota interna enviada a sacerdotes e leigos pelo ouvidor Cónego José Medeiros Constância, que é também o diretor do Instituto Católico de Cultura, organismo promotor desta iniciativa.

Embora a data do inicio e o programa da Escola ainda não estejam totalmente definidos esta Escola vai funcionar para leigos e para sacerdotes, com vista à formação para o desenvolvimento de actividades pastorais por parte dos leigos e aprofundar os elementos fundamentais da fé cristã.

O projecto aprovado pelos Conselhos Presbiteral e Pastoral diocesano, tendo em conta a prioridade diocesana de formação sob o lema «Comunidade evangelizada em comunhão missionária» adotará  a designação “Razões da Esperança”, na linha bíblica de “estarmos prontos para dar sempre razões da nossa Esperança (1ª Pedro 3,15)” refere a nota a que o Igreja Açores teve acesso.

A opção de avançar com o projecto é justificada pelo ouvidor como sendo uma resposta “Para aprofundar as razões da nossa fé e da nossa esperança hoje” e “Formarmo-nos como cristãos para a nossa missão no mundo”.

A Escola será desenvolvida através de Cursos, reuniões e encontros apresentados no programa de cada hora e que serão realizados nos dias, horas e locais indicados. Poderá também haver cursos que sejam realizados à distância, acrescenta ainda a informação.

Desde junho que uma equipa diocesana está a organizar  uma série de guiões- oito sobre o sacerdócio e 3 para leigos- que serão enviados aos ouvidores para se iniciarem as Escolas.

A iniciativa da Vigararia para a formação visa “dar formação básica ao povo de Deus” de modo a “preparar as condições que abram caminho a um sínodo diocesano” que está no horizonte.

O Reitor do Seminário ficou com a tarefa de construir oito guiões a partir do novo decreto da Ratio Fundamentalis– O Dom da Vocação, aprovada pelo Papa Francisco em dezembro de 2016.

‘Ratio fundamentalis institutionis sacerdotalis´foi atualizada 46 anos depois, procurando unir de modo equilibrado as dimensões humana, espiritual, intelectual e pastoral, através de um caminho pedagógico gradual e personalizado.

Qual o papel dos sacerdotes, como se exerce o sacerdócio de forma ministerial, como é que se formam os sacerdotes, quais os requisitos para a sua formação, ou a identidade dos padres serão alguns dos temas destes guiões que já estão concluídos.

Já para os leigos, os guiões base estão a ser feitos a partir da Lumen Gentium, uma constituição dogmática da igreja, assinada por Paulo VI, em 1964.

“A Igreja povo de Deus; a igreja Corpo de Cristo e a Igreja Povo do Espírito Santo” são os três grandes temas.

Estes guiões serão depois enviados para os ouvidores que deverão encaminha-los aos sacerdotes, que servem nas paróquias, para que constituam as suas escolas de formação próprias que deverão coincidir com as reuniões dos conselhos pastorais de paróquia por altura do inicio do ano pastoral, Quaresma e final do ano pastoral.