Paróquia do Pico celebra 300 anos do Voto do Povo de São Mateus com coroação. celebrações serão presididas pelo bispo de Angra

O santuário do Senhor Bom Jesus, na ilha do Pico, paróquia de São Mateus, volta a estar em festa este mês de setembro com uma dupla celebração: no dia 20 assinala-se o cinquentenário da dedicação da igreja e no dia 21 os 300 anos do Voto do Povo de São Mateus, em acção de graças pela intercessão do apóstolo, evitando que as erupções vulcânicas de 1718, que formaram o atual Mistério de São João, que na altura confinava com este lugar, uma vez que Terra do Pão e São Caetano eram lugares do extremo sul da mesma, não chegassem à freguesia.

O voto feito pelo povo “perpetuamente no dia do Padroeiro, 21 de setembro” é honrado com uma coroação, em louvor do Senhor Espírito Santo, e com a partilha de pão a todos os que se acerca a esta terra neste dia, informa uma nota da ouvidoria enviada ao Igreja Açores.

A festa começou com uma novena que termina a 20 de setembro, justamente o dia em que se assinalam os cinquenta anos da dedicação da igreja Matriz, hoje Santuário Diocesano do Senhor Bom Jesus, feita em 1968 por D. Jaime Garcia Goulart, Bispo Emérito de Timor. Nesse mesmo dia pelas 21h00,   no Salão dos Romeiros, haverá a inauguração de uma exposição de Ilustração de Filipe Gomes, intitulada “Mystérios de Fogo III”, sobre os 300 anos das duas erupções que em 1718 assolaram a Ilha do Pico. Ainda na quinta-feira, véspera da Festa, haverá a partir das 21h30 arraial com as Filarmónicas União e Progresso Madalense e Lira Madalense das Sete Cidades.

Na sexta-feira, dia 21 de Setembro, dia de São Mateus, serão assinalados os 300 anos do Voto dos antepassados picoenses. As celebrações serão presididas pelo Bispo de Angra, D. João Lavrador. Pelas 14h30 sairá da Igreja Matriz/Santuário uma procissão evocativa do voto de há 300 anos com a primitiva Imagem de São Mateus e a Coroa do Senhor Espírito Santo transportada pelo prelado, um cortejo processional acompanhado pela Filarmónica Lira de São Mateus. A procissão seguirá até ao memorial evocativo dos 300 anos, da autoria do Artista Gabriel Garcia, filho desta freguesia, que está a ser construído junto ao nicho de Nossa Senhora das Dores, entre as freguesias de São Mateus e São Caetano, seguindo pela Rua Formosa, no mesmo percurso que há 300 anos seguiram os picoenses que fizeram este voto. As Comunidades de São Caetano e Santa Margarida sairão também pelas 14h30 da Igreja Paroquial de São Caetano, com os guiões de São Caetano e Santa Margarida, acompanhados pela Filarmónica Lira Madalense das Sete Cidades, uma vez que em 1718 faziam parte da mesma freguesia.

Chegadas as procissões, junto do memorial haverá a inauguração e a bênção do mesmo, formando-se uma só procissão até à nossa Igreja Matriz/Santuário, onde pelas 16h00 haverá a Missa Solene da Festa, seguindo-se a procissão no giro habitual e o arraial com distribuição de rosquilhas e atuação das Filarmónicas Lira Madalense e Lira de São Mateus.

No Domingo, 23 de Setembro, haverá a celebração de Ação de Graças pelos 300 anos do Voto, com Missa Solene pelas 11h30, no Santuário do Senhor Bom Jesus, seguindo-se a procissão para o Salão da Casa do Povo de São Mateus, onde decorrerá o almoço de confraternização entre as Comunidades de São Mateus, São Caetano e Santa Margarida, nos 300 anos deste voto.

Recorde-se que em agosto São Mateus recebeu, uma vez mais, as grandes festas religiosas de verão na ilha montanha, com a Festa do Senhor Bom Jesus do Pico, que este ano foram presididas pelo bispo auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida.