Programa celebrativo arranca a 28 de outubro

No próximo dia 28 de outubro, pelas 15h00, arranca o programa celebrativo do 60º aniversário da elevação da Igreja de Nossa Senhora da Esperança a Santuário Diocesano, no dia 22 de abril de 1958.

O ciclo de quatro conferências será inaugurado pelo  Pe. Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, que falará sobre “Santuários: escolas de oração”.

Esta será a primeira de quatro conferências que se estenderão ao longo do próximo ano, que também viverá um simpósio de dois dias sobre a religiosidade popular, centrada no Culto do Espirito Santo e do Senhor Santo Cristo e que reunirá especialistas de várias áreas de saber.

O objetivo deste programa festivo é promover o culto ao Senhor Santo Cristo dos Milagres e levar as pessoas a repensarem a sua fé à luz de Cristo, afirma o reitor do Santuário, Cónego Adriano Borges.

A segunda conferência tem lugar em Vila Franca do Campo e será proferida pelo Pe. Alexandre Palma, docente da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa. Centrará a sua intervenção numa análise mais cristológica e falará sobre “Jesus, Ecce Homo”.

No dia 19 de março, o Pe. José da Silva Lima, de Coimbra, falará sobre o “Santuário , arte de cuidar”. A última conferência será protagonizada por D. Carlos Azevedo, do Conselho Pontífício para a Cultura e debruçar-se-á sobre o tema “Viver em Cristo: pleno humanismo de santidade”. A conferência realiza-se no dia 12 de julho, último dia do Simpósio, que abordará a temática da religiosidade popular, centrada nos cultos ao Espírito Santo e ao Senhor Santo Cristo dos Milagres.

“ O Espirito Santo, e também o Santo Cristo, têm uma presença em todas as ilhas e por isso falar sobre eles é falar também um pouco de nós açorianos”, afirmou o Cónego Adriano Borges, em declarações ao programa de rádio Igreja Açores que vai para o ar este domingo depois do meio-dia, na Antena 1 Açores e no Rádio Clube de Angra.

O culto ao Senhor Santo Cristo dos Milagres foi  impulsionado a partir dos séculos XVII e XVIII, dentro dos princípios adotados pela Igreja Católica no Concílio de Trento, no sentido da defesa da importância do culto e da veneração de imagens, um dos princípios de divergência em relação à Reforma protestante.

Na atualidade, aquando das festas em honra do Senhor Santo Cristo, uma multidão acorre ao Campo de São Francisco e ao Convento da Esperança para viver e celebrar uma das maiores manifestações  de  devoção, fé e respeito. Além de se prestar homenagem à imagem do Senhor, são pagas as promessas feitas.

Ao longo do restante do ano, a imagem encontra-se guardada numa capela do convento, localizada em frente e em sentido oposto ao altar-mor da igreja, separada da nave por um gradeamento.

As festas do Senhor Santo Cristo realizam-se no quinto domingo a seguir à Páscoa e são as maiores festas religiosas dos Açores, atraindo milhares de peregrinos que durante o fim de semana percorrem as ruas de Ponta Delgada.