A Irmandade de São Mateus saiu à rua para louvar a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade.

A Irmandade de São Mateus do Pico, a mais antiga da ilha, anterior à primeira metade do século XVIII, saiu ontem à rua para honrar a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, no dia do Império de São Mateus, apurou o Portal da Diocese junto de fonte da Ouvidoria do Pico.

 

Centenas de pessoas juntaram-se ao mordomo para a cerimónia da coroação, durante a Eucaristia, seguindo-se o almoço de sopas e, depois, a procissão com dezenas de senhoras a transportar o pão, a massa e as rosquilhas, em grandes açafates enfeitados com flores.

 

“Toda a gente recebe em abundância pois o Senhor Espírito Santo nunca falta” disse ao Portal da Diocese Manuel Serpa, um dos irmãos mais antigos da Irmandade de São Mateus.

 

A Irmandade de São Mateus organiza dois impérios: o de Pentecostes (ontem) e o da Trindade (próximo domingo).

 

Reza a história que esta irmandade foi criada por volta de 1718, altura em que houve uma crise vulcânica muito intensa na ilha do Pico.

 

De acordo com os locais, a lava veio do mar para terra, criou o Mistério de São João e quando a lava transbordava para São Mateus, a Irmandade que alegadamente já estaria criada, acorreu ao lugar com a coroa (que ainda hoje está na Igreja) e uma imagem do padroeiro e terá prometido que se o fogo não avançasse, haveria a população de entregar rosquilhas todos os anos. Desde então a irmandade organiza anualmente os Impérios de Pentecostes e Trindade e no dia 21 de setembro, dia do padroeiro, produz novas rosquilhas para serem entregues aos populares.

 

Esta segunda feira realiza-se o Império da Criação Velha, um dos maiores da ilha do Pico.

 

Durante os dois fins de semana que culminam o tempo da Páscoa, em termos do calendário litúrgico, 45 irmandades da ilha do Pico organizam as tradicionais funções do Espírito Santo.

Coroação