Iniciativa tem lugar em Vila Franca do Campo

O Serviço Diocesano de Apoio à Evangelização e Catequese, delegação de São Miguel e a ouvidoria de Vila Franca do Campo organizam no próximo dia 12 de novembro o dia do Catequista.

O acolhimento, às 9h30, será feito no Açor Arena e depois as três oficinas previstas para este dia serão realizadas em três pontos diferentes: igreja de São pedro, Igreja da Misericórdia e Salão de São Miguel Arcanjo.

“A modalidade adotada é a realização de três oficinas de trabalho, com temas distintos, em que os grupos vão circulando ao longo do dia” informa uma nota enviada ao Sítio Igreja Açores pelo responsável diocesano na ilha.

O objetivo da iniciativa é “Dar a conhecer a proposta do Secretariado Nacional da Educação Cristã, denominada de Catequese Familiar, a partir do novo documento da catequese: A Alegria do encontro com Jesus Cristo”, refere o responsável.

Por outro lado, estas oficinas descentralizadas procurarão “Motivar e sensibilizar” os catequistas para a importância da liturgia como principal meio catequético da Igreja.

“A liturgia originou diferentes formas artísticas ao longo dos tempos, como resposta a necessidades mas também como meio de louvar a Deus e de catequização pelo belo. Assim, é imperativo preservar o nosso património evangelizando através dele” refere a nota do Pe. Hélio Soares.

Durante este dia serão igualmente abordados “os novos modelos de familia” nos quais as crianças que frequentam a catequese se inserem.

No programa previsto para o dia do Catequista está ainda uma peregrinação até à Igreja da Senhora da Paz, já que se assinala a sua festa nesse dia, sendo os participantes convidados para a Missa, às 16h00.

No Salão de São pedro orientará os trabalhos a Irmã Isilda que abordará o tema “A Alegria do Encontro com Jesus Cristo”; na Igreja da Misericórdia os catequistas serão orientados pelo Pe. Hélio Soares e por Joana Simas que falarão sobre “Como catequizar pela liturgia e pelo Património” e, finalmente, no Salão de São Miguel os grupos serão orientados por Carolina Almeida no trabalho sobre “As novas Famílias”.