Visita a outras dioceses “ainda está em aberto”

O presidente e o vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa afirmaram hoje que o Papa Francisco comunicou aos bispos de Portugal o “desejo profundo” de ir a Fátima, estando “tudo em aberto” em relação a outras dioceses.

“Tivemos um colóquio em conjunto com o Santo Padre e não fez nenhuma confidência particular comigo. Afirmou, ao abrir o encontro, o desejo profundo de ir a Fátima”, referiu D. António Marto.

O vice-presidente da CEP contou hoje aos jornalista, em Roma, que o Papa falou em espanhol e disse “tengo ganas de ir a Fátima” (eu quero ir a Fátima).

D. António Marto acentuou que “certo, certo é Fátima”, mas não “ficaram portas fechadas” em relação a outras dioceses de Portugal.

Recorde-se que as duas dioceses insulares, primeiro Angra e depois o Funchal, convidaram o Santo Padre a visitar, os Açores e a Madeira.

Na altura, o Bispo de Angra, D. António de Sousa Braga, justificou o convite invocando o estatuto de periferia, lembrando que o Papa é sensível ás questões das periferias, e os Açores sendo uma região periférica “teriam muito gosto sem ser visitados pelo Papa Francisco”.

D. Manuel Clemente, presidente da CEP, recordou que, sempre que é referido o nome de Portugal, “o Papa diz que tem muita vontade de ir a Fátima” e “fica aí muito localizado”.

“O que o Papa responde sempre é que tem muita vontade de ir a Fátima. Não posso concluir mais do que isso, se é que isto já não é uma conclusão”, afirmou o cardeal-patriarca de Lisboa.

O Papa reafirmou a vontade de visitar o Santuário de Fátima, que celebra o centenário das aparições marianas em 2017, quando se encontrou com os bispos portugueses, nesta segunda-feira, no início da visita “ad Limina.

Além dos encontros com o Papa e da participação na audiência pública desta quarta-feira, os bispos portugueses vão ter um programa preenchido até sábado, com destaque para as visitas às várias instâncias.

CR/Ecclesia