Cónego Adriano Borges preside às festas do Senhor da Pedra, em Vila Franca do Campo

Realizou-se esta noite a mudança da imagem do Senhor da Pedra da Igreja da Misericórdia para a igreja Matriz de Vila Franca do Campo, naquele que é o primeiro grande momento festivo das Festas em honra do Senhor da Pedra, promovidas pela Santa Casa da Misericórdia da antiga capital da ilha de São Miguel.

A par da missa solene de domingo e da procissão pelas principais artérias de Vila Franca do Campo, este momento é um dos mais importantes desta festa que se realiza sempre no último domingo de agosto atraindo ao concelho milhares de fiéis, muitos deles emigrantes dos Estados Unidos, Canadá e Bermuda.

Este ano as festas são presididas pelo Vigário Episcopal para as ilhas de São Miguel e Santa Maria, Cónego Adriano Borges.

Na celebração da palavra, à chegada da imagem à Igreja Matriz onde ficará em Vigilia, durante a noite, o sacerdote aproveitou a ocasião para falar sobre misericórdia deixando algumas reflexões sobre o sentido da misericórdia, que se traduz essencialmente em atos.

Por isso, disse, é preciso que cada cristão se lembre e se interrogue sobre de quem é próximo.

“Quem é o meu próximo, quem vive comigo e de quem nem sempre cuido, porque é que às vezes sou bom para os de fora e menos atento aos de casa” foram algumas das interpelações deixadas pelo Cónego Adriano Borges que lembrou que ser próximo “é ser presente e compadecer-se do outro”.

“Não se trata de ter pena mas de sofrer com o outro” esclareceu e de o fazer de forma gratuita sem estar à espera de “tirar proveitos ou vantagens”, à boa maneira do samaritano.

A festa do Senhor da Pedra é promovida pela Misericórdia de Vila Franca do Campo e por isso, o sacerdote aproveitou para lembrar que ser misericordioso é “tratar dos irmãos feridos”, sublinhando que ser próximo “não é afastar-se por outro caminho; mas também não é só dar uma esmola”.

“É preciso que o verdadeiro cristão se aproxime, ajude a cuidar, e a limpar as feridas e ajudar a levantar” pois a “misericórdia são atos concretos”.

A festa do Senhor  da Pedra começou no passado dia 22 e termina a 30 de agosto e é organizada pela Santa Casa da Misericórdia.

Não é fácil precisar em que altura começou este culto e estas festas;  já sobre a imagem do “Ecce Homo” existe uma lenda sobre ter dado à costa dentro de uma caixa de madeira, na praia do Corpo Santo. As duas imagens – a primitiva e a atual – representam Cristo coroado de espinhos, sentado numa pedra.

A Misericórdia da Vila, é “uma das mais antigas” da Diocese de Angra, “datada de 1551 ou 1552”, e depois de ter a funcionar o hospital, construiu a sua Capela, “o principal complexo arquitetónico de Vila Franca do Campo – igreja, hospital, consistório e farmácia” –, onde se tratavam os doentes e se administrava a Irmandade.