Conferência de abertura estará a cargo de D. Carlos Azevedo, membro do Pontifício Conselho para a Cultura

As grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada realizam-se de 11 a 14 de julho e serão presididas por D. Carlos Azevedo, bispo português no Pontifício Conselho para a Cultura.

As festas organizadas pela Câmara Municipal, envolvendo todas as freguesias e impérios do Concelho, contam ainda com a participação do Presidente da Câmara Municipal de Alenquer, Pedro Folgado e do Presidente das Grandes Festas do Divino Espírito Santo da Nova Inglaterra, João Medeiros.

Esta “festa do povo” com crescente participação terá uma “forte aposta” no ambiente, anunciou o presidente da Câmara José Manuel Bolieiro.

“Dezasseis anos ininterruptos. Cada um bem sucedido e sempre com a sensação que, em cada ano, a festa é mais grandiosa e mais bem sucedida e mais acolhida não só pelos residentes, como também por emigrantes que de propósito organizam o seu regresso para participarem e por turistas”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, em conferência de imprensa onde afirmou que as festas têm um custo estimado de 120 mil euros.

Este ano, o bispo do Pontifício Conselho da Cultura do Vaticano, D.Carlos Azevedo, preside às festividades e fará a conferência inaugural, (no dia 11), sobre “Dimensões Missionarias da Devoção ao Senhor Santo Cristo e ao Espírito Santo”.

O autarca destacou a “solidez” do evento e “a adesão do povo à sua organização”, salientando a atitude “solidária e de partilha entre a comunidade” nestas festas, que já se “afirmaram como um verdadeiro cartaz turístico”, fruto da “opção de um calendário regular, previsível, embora possa variar no dia do mês”, mas ocorre “sempre no segundo fim de semana de julho”.

“Há uma identidade popular do povo com esta devoção. É uma festa do povo, pelo povo e para o povo”, realçou José Manuel Bolieiro, destacando que num dos momentos mais aguardados do programa, a partilha popular das sopas do Espírito Santo, dia 13, serão servidas entre 12.000 e 13.000 sopas.

O autarca adiantou ainda que “a grande novidade deste ano é uma aposta na questão ambiental”, com o objetivo de desperdício zero.

O vereador da autarquia Pedro Furtado, coordenador da organização das festas, especificou que “todo o material que for produzido de resíduos terá dois destinos, o da reutilização e o da separação”.

Destacando o contributo de centenas de pessoas, que “chegam aos 350 voluntários” para a confeção das tradicionais sopas e arroz doce, o vereador adiantou que estão contabilizados no almoço de sábado (dia 13) “3.000 quilos de carne” e “centenas de quilos de outros ingredientes”.

Serão ainda usados 300 quilogramas de arroz e 300 quilogramas de açúcar para a refeição no sábado, dia 13, em que se realiza também o cortejo etnográfico das 24 freguesias do concelho, na Avenida Infante D. Henrique, com a duração de quatro horas.

No dia anterior, sexta-feira, decorre a mudança da Bandeira do Divino Espírito Santo do Centro Municipal de Cultura aos Paços do Concelho, abrindo em seguida o quarto do Espírito Santo, no salão nobre da câmara.

No domingo, último dia das festas, às 09:30, decorre a missa da coroação, no Largo da Matriz e cerca de duas horas depois o bodo de leite, nas Portas da Cidade, e a partir das 16:00 a Grande Coroação dos Impérios do Espírito Santo do Concelho de Ponta Delgada.

As festas do Espírito Santo de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, incluem ainda a distribuição de pensões, um concurso de massa sovada, exposições e atuações musicais.

(Com Lusa)