Pelo P.e José Júlio Rocha.

E Jesus acrescentava: «Quem tem ouvidos para ouvir, oiça». (Marcos 4, 9)
Esta máxima de Jesus, ao fim da parábola do semeador, soa-nos como aviso e alarme. Devemos estar atentos àquilo que se passa à nossa volta, perceber os sinais dos tempos, entender os vaivéns da História, para que se não repitam males do passado.
Hoje celebramos o Dia da Memória das vítimas do Holocausto. Não pensemos apenas no hediondo holocausto nazi, mas em todos os holocaustos que espezinharam a dignidade humana.
Perceber as causas dos crimes contra a humanidade é meio caminho para os não repetir. Infelizmente não estamos livres de repetir a História.