Pelo Pe José Júlio Rocha.

Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do Céu e da Terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos.» (Mateus 11, 25)
Jesus não pretende menosprezar a sabedoria ou a inteligência, mas exaltar a humildade. Na verdade, todo o verdadeiro sábio é, necessariamente, humilde.
A fé é essencialmente simples: uma criança dorme ao colo da mãe, protegida e feliz, numa confiança total. Bela imagem de fé.
O verdadeiro sábio, crente ou não, tem sempre, como horizonte, o Infinito.