Nota Pastoral para o inicio do ano “provoca” diocese para uma nova evangelização

O bispo de Angra quer que a caminhada sinodal “provoque” a diocese a ser mais capaz e mais eficaz na missão de evangelizar.

“Dada a descristianização da nossa sociedade, exige-se entre nós uma nova evangelização”, refere o bispo de Angra na Nota Pastoral  que deixa aos diocesanos na abertura do novo ano pastoral que começa no domingo dia 29, o primeiro do Advento.

A proposta, embora “exigente” é igualmente “reconfortante” e pressupõe uma “articulação” entre o desafio da evangelização e “uma outra exigência que se refere ao modo de evangelizar que forçosamente deve ser feito auscultando os Sinais dos Tempos e em diálogo sereno e lúcido com o mundo atual”, afirma D. João Lavrador.

“A auscultação dos Sinais dos Tempos a que nos propusemos no primeiro ano de caminhada sinodal e que deve estar sempre presente na acção evangelizadora da Igreja ressalta a necessidade de orientar as comunidades cristãs para que possam responder evangelicamente aos desafios da cultura e da sociedade de hoje”, sublinha D. João Lavrador.

Neste sentido, “temos pela frente a imperiosa tarefa de convocar todos os batizados para a sua participação ativa nas comunidades cristãs”.

O bispo insular recorda a centralidade da Eucaristia, que deve ser explicada a todos os batizados; a necessidade de uma maior formação das comunidades e o compromisso de todos na dinamização pastoral.

“Que não nos faltem a coragem e a criatividade, a partilha de experiências suscitadas pelo mesmo Espirito e a iniciativa de propor o Evangelho com novo ardor, com novas linguagens e com novos métodos”, deseja o prelado.

Deste modo, e centrados nos três temas propostos para o segundo ano da Caminhada Sinodal – Igreja evangelizadora, a Igreja em diálogo com o mundo de hoje e a Igreja comunitária- “prosseguiremos a nossa reflexão em ordem a edificarmos comunidades cristãs nas quais sejam visíveis e nelas atuem os diversos serviços que lhe são oferecidos pelo Espirito Santo em ordem à comunhão eclesial e à missão”.

“Convido a todos os sacerdotes, diáconos, religiosos(as), grupos e movimentos, serviços diocesanos, organismos de apostolado, instituições e mesmo pessoas de boa vontade que se preocupam pela vivência autêntica do Evangelho, e sobretudo as comunidades cristãs a deixarem-se envolver por este desafio tão urgente e tão atual” afirma ainda, deixando um apelo muito especifico aos sacerdotes.

“Apelo a todos os sacerdotes para o seu empenho no acompanhamento e dinamização das suas comunidades, para que no presbitério se faça a experiência sinodal e haja uma profunda preparação do próximo conselho presbiteral”, sublinha D. João Lavrador.

O bispo termina a nota pastoral  convidando todos os agentes de pastoral a participarem nas acções formativas que serão levadas a cabo nos dias 27 de Novembro, na Igreja Matriz da Madalena, no dia 30 de Dezembro, no Seminário Episcopal de Angra e no dia 2 de Dezembro, no Centro Pastoral Pio XII, e recorda que, no domingo em que se inicia formalmente o novo ano pastoral, cada paróquia possa dinamizar um grupo de jovens para uma ação tipicamente juvenil que junte o inicio do ano pastoral, a caminhada sinodal e o arranque da JMJ 2023.

Dada a situação de pandemia, apela-se, mais uma vez, ao rigoroso cumprimento das regras sanitárias para que as celebrações litúrgicas e demais acções pastorais decorram com a adequada segurança.