Encontro com o Papa deverá ser a 7 de setembro, disse porta voz da CEP

Os bispos católicos portugueses vão deslocar-se a Roma, Itália, de 07 a 12 de setembro, para a tradicional visita “ad limina”, anunciou hoje em Fátima, distrito de Santarém, o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP).

“A visita ‘ad limina’ propriamente dita começará na segunda-feira até sábado, dia 07 até ao dia 12 [de setembro]. Ainda não está totalmente definido, mas pensa-se que a audiência, o encontro com o Santo Padre, será logo no início da visita”, afirmou o padre Manuel Barbosa, no final de mais uma reunião do Conselho Permanente da CEP.

O sacerdote explicou que habitualmente o encontro com o papa “é no fim ou durante” a visita, “mas desta vez, como ele tem feito aliás com outras conferências episcopais, será no início”.

A visita “ad limina” é a visita que cada bispo diocesano deve fazer a Roma, o que geralmente acontece de cinco em cinco anos e por conferência episcopal, na qual apresenta ao papa o relatório sobre o estado da respetiva diocese e da Igreja no seu país, explicou o responsável.

A última visita dos bispos portugueses realizou-se em 2007, sendo que na ocasião a CEP encetou o “caminho de repensar a pastoral da Igreja em Portugal”.

“Os acontecimentos conhecidos, como a mudança de papa, levaram a que o prazo fosse dilatado”, justificou recentemente o porta-voz da CEP.

Manuel Barbosa adiantou que do programa consta a visita a várias congregações e conselhos pontifícios, assim como celebrações nas basílicas maiores, sendo que a partida dos cerca de 40 bispos, incluindo auxiliares e eméritos, está prevista para 04 de setembro.

“O programa já está quase a 90 por cento feito, mas é preciso naturalmente esperar de Roma, do Vaticano, ainda algumas definições”, afirmou, admitindo que a visita do papa a Portugal, em maio de 2017, por ocasião do centenário dos acontecimentos de Fátima, possa também ser abordada no encontro com os bispos.

O responsável referiu que “se a visita é só a Fátima ou se alargará mais, isso está tudo em aberto”.

A 25 de abril, o papa Francisco confirmou, ao bispo de Leiria-Fátima, António Marto, que tenciona deslocar-se a Fátima em 2017, quando se assinala o centenário dos acontecimentos na Cova da Iria, revelou nesse dia a diocese portuguesa.

Numa informação enviada à agência Lusa, a diocese anunciou que, em audiência privada, hoje, em Roma, o papa Francisco confirmou a António Marto que, “‘se Deus [me] der vida e saúde’ quer estar na Cova da Iria para celebrar o centenário das aparições de Fátima”.

“Depois de ter recebido já vários convites, é a primeira vez que Francisco afirma de forma explícita este desejo de vir a Fátima, autorizando a divulgação pública da sua intenção”, destacou a diocese.

Na reunião de hoje do Conselho Permanente foi objeto de preparação a agenda da próxima Assembleia Plenária da CEP, a decorrer em novembro, em Fátima, que inclui, além do debate dos resultados da visita dos bispos a Roma, a reflexão originada na sequência das conclusões do Sínodo dos Bispos em outubro.

O centenário dos acontecimentos de Fátima, em 2017, e sugestões para celebrar o Ano da Misericórdia, que inicia a 08 de dezembro, serão outros dos temas na reunião magna dos bispos.

CR/Lusa