Edifício de 1698 foi agora recuperado numa iniciativa conjunta da Ordem Terceira do Carmo e da Câmara Municipal da Horta

Reabriu ontem ao culto a Capela dos Terceiros do Convento do Carmo, na Horta, ilha do Faial, depois de ter estado encerrada durante 19 anos, período em que decorreram as obras de restauro.

Estas primeiras obras que permitiram a reabertura do espaço foram um “importante passo com o objetivo de justificarmos e apelarmos à consciência social e da Comunidade cristã para a recuperação, mesmo que gradual, de todo este conjunto arquitetónico”, disse ao Sítio Igreja Açores o ouvidor eclesiástico da Horta e reitor, Pe Marco Luciano.

Este Convento começou a levantar-se em 1698, ficando completo em 1751. A igreja interior tem de 49,5 metros de comprimento e 9 metros de largura, assumindo-se como um espaço “majestoso” no coração da cidade.

A Capela dos Terceiros, agora recuperada, tem cerca de 20 metros de comprimento, 6 de largura e 7 metros e meio de altura e aqui se encontram algumas imagens do Triunfo, esculturas de rara beleza, do escultor régio de D. João V.

Conjuntamente com a Capela, foi recuperado o espaçoso Consistório para as Sessões solenes da Ordem Terceira, que agora servirá para sala de Exposições, sala de conferências e encontros de movimentos eclesiais. Neste momento, podemos contemplar já a exposição da Sagrada Parentela, um conjunto escultórico do Séc. XVIII.

Para além do espaço da Capela e do Consistório, foram recuperados outros anexos, nomeadamente o escritório, a sacristia de apoio à Capela e instalações sanitárias.

A juntar ao trabalho de carpintaria, destaca-se o trabalho em pedra, com a recuperação da escadaria e réplica do antigo varandim.

Na Capela realça-se a recuperação e pintura dos antigos tocheiros, da Cruz Processional com o brasão da Ordem Terceira do Carmo, o altar, o ambão e demais cadeiral.

Estas obras foram suportadas pela Ordem Terceira do Carmo, com a colaboração da Câmara Municipal da Horta.