Pregação do novenário está a cargo do ouvidor eclesiástico da Graciosa, Pe. Sérgio Mendonça

“Maria Madalena, Discípula e Apóstola de Jesus” é o mote para mais uma edição das Festas de Santa Maria Madalena no Pico, que começam esta sexta feira, com pregação do Pe. Sérgio Mendonça, ouvidor da ilha Graciosa.

“Convidamos cada um de vós a contemplar o exemplo desta grande e importante mulher do nascimento da Igreja” refere o pároco, Pe. Marco Martinho, numa saudação a todos os peregrinos que se desloquem às festas da padroeira do concelho da Madalena cujo ponto alto é o dia 22 de julho.

“Ela que foi Discípula e Apóstola de Jesus, nos ensine a sê-lo também, no testemunho concreto da nossa vida, com boas obras de amor e de bem em favor dos irmãos, na construção de um mundo ao jeito de Jesus de Nazaré” refere o sacerdote na saudação enviada ao Igreja Açores.

O Pe. Sérgio Mendonça, natural da ilhas das Flores, e ouvidor eclesiástico da ilha Graciosa será o pregador do novenário que precede a festa e também dos dias da festa.

Santa Maria Madalena passou a ser celebrada no Calendário Romano Geral com o grau de ‘Festa’ em 2016, por decisão do Papa Francisco.

“A primeira a chegar [ao sepulcro] é ela: Maria de Magdala, uma das discípulas que tinham acompanhado Jesus desde a Galileia, colocando-se ao serviço da Igreja nascente”, justificou o pontífice argentino.

A Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos publicou, de resto, um novo decreto, datado de 3 de junho de 2016, “por desejo expresso do Santo Padre”, para promover e explicar esta mudança.

O texto sublinha que Maria Madalena foi a primeira “testemunha” e “anunciadora” da ressurreição de Cristo.

A decisão “inscreve-se no atual contexto eclesial, que exige uma reflexão mais profunda sobre a dignidade da mulher”, pode ler-se no documento.

Maria de Magdala, declarou na altura o santo padre, era a “mulher pecadora” que ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos, uma “mulher explorada e também desprezada por aqueles que se julgavam justos”.

A figura da Madalena foi motivo de debate ao longo dos séculos, em particular por causa de passagens de escritos gnósticos que aludem a uma proximidade entre Jesus e Maria Madalena e alguma hostilidade em relação a ela por parte de São Pedro e Santo André.

“A história de Maria de Magdala recorda a todos uma verdade fundamental: discípulo de Cristo é quem, na experiência da fraqueza humana, teve a humildade de pedir-lhe ajuda, foi curado por ele, e seguiu-o de perto, tornando-se testemunha do poder do seu amor misericordioso”, disse então.

O programa da festa de Santa Maria madalena, no Pico começa esta Sexta-feira, 13 de Julho, com a eucaristia solene de abertura do novenário, presidida pelo Vigário Episcopal do Ocidente, Pe. João Bettencourt das Neves, às 19h30. Até dia 21, esta será a hora diária da eucaristia, sempre precedida do sacramento da reconciliação.

No dia 22, na Solenidade de Santa Maria Madalena, celebram-se duas eucaristias. A primeira às 10h30, com o sacramento do baptismo, será animada pelo coro juvenil da paróquia. Às 12h00 será feita a bênção anual das viaturas e Saudação à Padroeira. Segue-se às 16h00 o desfile de Filarmónicas e Saudação à Padroeira; ás 17h30 a missa da festa, com a participação do clero da ilha e às 19h00, a procissão.

Paralelamente haverá um programa sócio-cultural e desportivo associado patrocinado pela Câmara Municipal da Madalena.