Iniciativa foi desenvolvida pelo Serviço Diocesano de Liturgia em pareceria com a ouvidoria das Flores

Mais de uma centena de leigos florentinos participaram nas II Jornadas de Liturgia, que decorreram na ilha mais ocidental da diocese entre os dias 6 e 7 de fevereiro.

As jornadas, orientadas pelo Diretor Diocesano do Serviço de Liturgia, Pe. Marco Luciano Carvalho e pelo Diretor da Comissão Diocesana de Acólitos, Pe. Marco Sérgio Tavares, decorreram na Matriz das Lajes e auditório Municipal e no dia seguinte na Matriz de Santa Cruz e abrangeram os leitores, acólitos e coralistas.

De acordo com uma nota enviada ao Igreja Açores,  na formação para os leitores estiveram cerca de 50 elementos e nos grupos corais um número idêntico.

“No que concerne aos grupos corais os trabalhos versaram sobre o canto litúrgico e a sensibilidade litúrgica na celebração” refere a nota. Além disso, o Pe. Marco Luciano Carvalho aproveitou para aprofundar o trabalho anteriormente realizado no que respeita a técnicas vocais e fornecimento de elementos e subsídios litúrgicos para os próximos tempos litúrgicos que se avizinham, nomeadamente Quaresma e tempo Pascal.

Com os leitores, o Pe. Marco Sérgio abordou o ministério do leitor como sendo uma arte original e, complementando a formação já iniciada anteriormente, debruçou-se sobre aspetos mais técnicos acerca do desempenho do ministério, com algum treino de textos bíblicos.

A última formação do género na ilha tinha ocorrido há dois anos, com a presença do Pe. Luís Leal, Diretor do Serviço Nacional de Acólitos. De resto, a ouvidoria das Flores acolheu a V Peregrinação diocesana dos acólitos, decorrida em 2017.

A nota sublinha, ainda, o “bom acompanhamento dos jovens que exercem este ministério litúrgico de acólitos” que é desenvolvido pela equipa sacerdotal, nomeadamente com a realização de retiros e recoleções nos tempos litúrgicos mais fortes.

Na Matriz de Santa Cruz, o Padre Marco Sérgio, responsável diocesano da Comissão dos Acólitos, lançou pistas para o contato com o Missal Romano e uma pré-abordagem daquilo que será a VII peregrinação diocesana de acólitos, que acontecerá em julho deste ano na freguesia de Arrifes, ilha de São Miguel.

Destas jornadas “resulta positivo o interesse pela formação e a mobilização dos diversos agentes através da realização das jornadas em ambos os concelhos, favorecendo a participação de um número muito aceitável de agentes, graças ao esforço e dinâmica pastoral da equipa sacerdotal da ilha no seu trabalho “in solidum””, destaca ainda a nota enviada ao Igreja Açores.

“Neste ano missionário cada um dos agentes foi chamado à responsabilização e importância dos diversos ministérios que cada um desempenha. O esforço valeu pena para se conseguir celebrações mais belas. De uma bela celebração depende também uma melhor missão na Igreja, na vida e no mundo”, conclui a Nota.

(Com Pe. Marco Sérgio Tavares)