Congregação está nas ilhas Terceira e São Jorge

A Congregação das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus, fundada em Portugal a 25 de março de 1931, por D. Moisés Alves de Pinho e pela Madre Maria da Santissima Trindade, está nos Açores desde 1952, centrando a sua atividade atualmente em duas ilhas do arquipélago, Terceira e São Jorge, para onde se deslocaram em 1956, depois de encerrarem a casa do Faial.

Atualmente as seis religiosas que se encontram na diocese (três em Angra e três em São Jorge) dedicam-se ao acolhimento de crianças, jovens e mulheres adultas que precisam de cuidados especiais, dando ainda apoio variado nas paróquias da Sé (Terceira) e de Santo Antão (São Jorge).

Estão em São Gonçalo desde 1958 e aí gerem o recolhimento e um jardim Infantil, dando apoio a crianças da escola do Alto das Covas.

O Jardim de infância é constituído por três salas dos três aos cinco anos, num total de 62 crianças e possui ainda um ATL, com quatro salas, do 1º ao 4º ano, com um total de 72 crianças.

Além do “despertar religioso”, este ano iniciaram a catequese a pedido dos pais e com o apoio dos párocos das diversas paróquias da ouvidoria da Terceira.

“Todas as nossas atividades têm como objetivo evangelizar todas as pessoas com que contactamos diariamente” disse ao Sítio Igreja Açores, a responsável pela comunidade de São Gonçalo, Irmã Cecília Santos.

“Tudo o que dizemos e fazemos procuramos que esteja imbuído do espírito reparador porque para nós reparar é amar”, sublinha.

Esta Congregação nasceu na Igreja como resposta de reparação e de fé à descristianização que se vinha acentuando em Portugal depois da proclamação da República.

“Nós Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus por um dom especial do Espírito Santo, estamos intimamente associadas aos Mistério de Cristo e colaboramos na sua obra de salvação, reparando com Ele a glória de Deus, mediante o sacrifício de nós mesmas, na obediência à vontade do Pai, na oração contínua e no anúncio do Evangelho”, como dizem as Constituições da Congregação.

A missão principal é a evangelização a todos os níveis, “ad intra” e “ad gentes”, dedicando-se com a mesma intenção a obras de promoção social, nomeadamente os jardins de infância.

A Congregação tem a sua inspiração original e a sua vida no Coração de Jesus, a quem está especialmente consagrada. Este amor ao Coração de Jesus revela-se e comunica-se sobretudo na Eucaristia “que é o nosso acto principal de cada dia”, refere a responsável pela comunidade de São Gonçalo, “Fazendo-a prolongar”.

Com a mesma intenção reparadora e apostólica, a Congregação associa ao seu Carisma leigos, jovens e crianças.

“No seu próprio ambiente familiar, laboral, estudantil os leigos podem viver e testemunhar esse Carisma reparador”, fazendo parte do Movimento Internacional de Leigos Missionários Reparadores do Sagrado Coração de Jesus, refere uma nota das Irmãs Reparadoras.

A Congregação está em 14 dioceses portuguesas e possui 15 comunidades, duas delas na diocese de Angra, onde tem seis religiosas mobilizadas, uma delas natural dos Açores e quatro de Cabo Verde.

A “Casa Mãe” é no Porto, mas estão igualmente presentes no continente Africano em Moçambique, Angola e Cabo Verde. Neste país possuem quatro comunidades, duas no fogo e outras duas em Santiago.

A Congregação das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus constitui um dos 15 institutos religiosos presentes na Diocese de Angra.