Pe Pedro Aguiar, o sacerdote mais novo da diocese, celebrou este domingo a Missa Nova na Igreja onde foi batizado

O mais novo sacerdote da Diocese de Angra, Pe Pedro Aguiar, ordenado no passado dia 21 de junho, celebrou este domingo a sua Missa Nova, num ambiente de grande familiaridade e emoção, como o próprio descreveu quando começou a homilia.

“Nem que eu tivesse levado 500 anos a preparar-me estaria alguma vez preparado para este momento, para este turbilhão de emoções” começou por dizer o sacerdote que pela primeira vez presidiu a uma celebração na igreja Matriz da Santissima Trindade, nas Lajes do Pico, onde foi batizado.

“Foi muito estranha a sensação, num misto de arrepio, e ao mesmo tempo, de enorme emotividade. Já tinha celebrado no Seminário, no dia a seguir à ordenação e na Sé, mas nesta igreja onde todos me conhecem e onde eu cresci, são sentimentos muito estranhos para os quais eu nunca estaria preparado”, acrescentou.

O sacerdote fortemente ovacionado pela comunidade quando entrou no cortejo processional até ao altar, estava visivelmente comovido. Depois de agradecer a presença “tão forte” de toda a comunidade e do empenho que tiveram, sobretudo nos momentos sociais associados à Missa Nova, o Pe Pedro Aguiar centrou a sua homilia em duas ideias chave, a partir do Evangelho: confiança e caminhada conjunta.

Numa homilia feita de improviso,  a partir de notas, o sacerdote destacou a importância da “confiança absoluta em Deus”, referindo que qualquer cristão, mas sobretudo, aqueles que seguiram este ministério, têm de se despojar e entregar-se à divina providência. Ora, isto só se consegue “numa relação de absoluta confiança em que nos entregamos a Deus”.

Lembrando a passagem do Evangelho em que Jesus diz aos discípulos, “nâo leves alforges, nem dinheiro, que nada te faltará”, o novo sacerdote sublinha a importância desta atitude no presbitério.

“A confiança é a base da fé e é o que nos fortalece”, disse ainda o Pe Pedro Aguiar que destacou a necessidade de nesta caminhada vocacional “nunca se estar só”.

“Estamos acompanhados por Jesus e isso basta-nos mas se tivermos ao lado um irmão será sempre mais fácil não nos deixarmos cair”, disse o Pe Pedro Aguiar, referindo-se inclusivamente ao outro diácono que completou este ano o sexénio no Seminário e aguarda completar 24 anos para ser ordenado sacerdote.

Esta Missa Nova foi concelebrada por sete sacerdotes, maioritariamente do Pico mas também do Faial, o Reitor do Seminário e o Pe Paulo Areia que serviu nas Lajes e agora se encontra na Alemanha.

A organização da Festa a cargo da Comissão de Assuntos Económicos da Paróquia das Lajes contou, ainda com a colaboração muito estreita do pároco, Pe João Bettencourt das Neves.

As ruas entre o Cruzeiro e a Igreja foram literalmente forradas por um extenso tapete de flores naturais e as janelas engalanadas com colgaduras.

Depois da Missa Nova realizou-se uma jantar aberto a toda a comunidade na sede da Filarmónica Liberdade Lajense que acompanhou o novo padre até à Igreja; uma banda onde de resto o avó materno, figura sempre muito presente na vida do Pe Pedro Aguiar, tocou durante mais de 20 anos, tendo sido também dirigente dos corpos sociais.

No sábado, os ex colegas do Seminário organizaram uma vigília de oração na Ermida de São Pedro e hoje todos ajudaram na Missa Nova. Na Vigilia, presidida pelo pe Pedro Aguiar, celebrou a palavra o Diácono Gaspar Pimentel, tendo usado da palavra ainda o reitor do seminário, Cónego Hélder Miranda Alexandre.

Em declarações ao Sítio Igreja Açores, o pároco das Lajes, Pe João Bettencourt das Neves, lembrou que foi “um dia de festa vivida por toda a comunidade que quis estar ao lado do Pe Pedro neste dia tão importante”.