Provincial da Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição em Angra fala do papel da mulher na igreja

Se as mulheres liderassem ou ocupassem lugares de maior responsabilidade na igreja certamente que a  “misericórdia seria mais visível” porque as mulheres “são coração “ e a “expressão feminina do rosto de Deus”, afirma a provincial da Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição na Diocese de Angra, que é a convidada do programa de Rádio Igreja Açores desta semana.

Em entrevista no dia Internacional da Mulher, a religiosa, Ir. Elvira Toledo, sublinha a importância da mulher na vida religiosa e na vida da igreja e do mundo.

“Somos convidadas a ser sinal da misericórdia e da hospitalidade e  hoje a igreja tem para nós um outro olhar” refere a superiora da Província na diocese de Angra.

“O Papa Francisco olha para a importância da mulher na igreja não como hóspedes mas como intérpretes” precisa sublinhando que “se quisermos pensar na dignidade da mulher e no seu papel na igreja basta olhar para Maria”.

“O que seria o colégio apostólico sem Maria? E Maria antecipa-se à missão petrina; foi ela que dirigiu os apóstolos” acrescenta lembrando que a missão da mulher “ é dar este rosto feminino, ser este rosto materno”.

“As mulheres são coração, entrega… A igreja beneficiaria se fizesse como Cristo que se deixou seguir pelas mulheres, quando elas não valiam nada”.

“Temos de ser ativas e assumir este nosso compromisso para servirmos” refere ainda destacando que a questão da ordenação das mulheres não é o tema central da reflexão sobre o papel da mulher na igreja.

A Ir. Elvira Toledo fala ainda deste pontificado e do espaço que Francisco tem dado às mulheres e espera que seja possível, cada vez mais, desenvolver uma Teologia centrada na mulher.

“Procurar dar espaço para que as mulheres tenham lugar. A Teologia  da mulher na igreja tem que ter mais espaço neste tempo”, conclui.

Na entrevista que vai para o ar este domingo, depois do meio dia, no Rádio Clube de Angra e na Antena 1 Açores, e que foi gravada neste dia Internacional da Mulher, a religiosa fala da falta de vocações europeias na Congregação; das dificuldades das jovens hoje assumirem um compromisso de entrega radical e generosa aos outros, e dos desafios que se colocam à sociedade para, no seu todo, ser mais rica em valores e vocações.

A Congregação das irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição é a única que tem uma Província nos Açores, atualmente com 50 religiosas distribuídas por seis comunidades em cinco ilhas dos Açores.

Esta quinta feira assinala-se o dia Mundial da Mulher , uma oportunidade para se falar do papel da mulher na sociedade e na igreja.

A Comissão Nacional Justiça e Paz apresentou uma mensagem onde alerta para a necessidade de uma igualdade de oportunidades entre homens e mulheres.

(Com Tatiana Ourique)