Antigo núncio na República Dominicana vai ser julgado

O Vaticano anunciou hoje que o antigo núncio na República Dominicana, Józef Wesolowski, vai ser julgado a partir de 11 de julho por abuso sexual de menores e posse de pornografia infantil.

A sala de imprensa da Santa Sé informa, em comunicado, que o presidente do Tribunal do Estado da Cidade do Vaticano, Giuseppe Dalla Torre, decidiu levar a julgamento o antigo arcebispo, acolhendo o pedido do promotor de justiça.

“O ex-prelado está acusado de várias delitos cometidos tanto durante a sua estadia em Roma, desde agosto de 2013 até ao momento da sua prisão (22.09.2014), como no período decorrido na República Dominicana, nos cinco anos em que desempenhou o cargo de núncio apostólico (24.01.2088-02.08.2013)”, pode ler-se.

A acusação relativa aos factos alegadamente ocorridos em Roma decorre de uma lei aprovada em 2013 pelo Papa Francisco, relativa à posse de “material pornográfico”.

Para o período precedente, as acusações têm como base o material probatório transmitido pela autoridade judicial de Santo Domingo sobre “os abusos sexuais de menores”.

Em causa, refere o comunicado, estão “graves acusações” que implicam um “procedimento delicado e articulado”.

Em junho de 2014, a Santa Sé revelou que Józef Wesolowski tinha sido condenado à demissão do estado clerical pela Congregação para a Doutrina da Fé.

Ainda hoje, o Papa aceitou a renúncia do arcebispo de São Paulo e Mineápolis, nos Estados Unidos da América, D. John C. Nienstedt, bem como do seu auxiliar, D. Lee Anthony Piché.

A decisão ocorre dias depois de as autoridades norte-americanas terem acusado a arquidiocese de falhar na proteção de menores, em casos de abusos sexuais por membros do clero.

D. John C. Nienstedt emitiu um comunicado no qual assume que renúncia ao cargo para permitir “um novo começo” à comunidade católica, referindo que parte de “consciência tranquila” em relação ao trabalho de “proteção de menores e adultos vulneráveis”.

O Vaticano anunciou no último dia 10 que o Papa criou um tribunal na Santa Sé para julgar bispos acusados de ocultar abusos sexuais de menores, no final da décima reunião do conselho consultivo de cardeais.

CR/Ecclesia