Exéquias vão ser celebradas na Sé da Guarda, na quarta-feira, dia 28, às 15h00, seguindo-se cortejo fúnebre para a sua terra natal, na Paróquia de Santo António de Vagos, em Aveiro

O bispo emérito da Guarda, António dos Santos, que morreu na segunda-feira, aos 85 anos, foi “um bispo amigo dos seus padres e próximo de todos”, considerou hoje o atual prelado diocesano Manuel Felício.
O bispo da Guarda refere, numa mensagem publicada na página da internet da diocese, que, neste momento, a diocese lhe expressa “profunda gratidão”.
“Depois dos tempos difíceis vividos pelo seu antecessor Dom Policarpo da Costa Vaz, as vocações e as ordenações sacerdotais nesta diocese da Guarda tiveram com Dom António dos Santos significativo crescimento. Chegou a ordenar só num ano cinco novos padres”, lembra Manuel Felício.
Na nota, o prelado diocesano diz ainda que a Guarda também lhe deve “a decisão de promover a ordenação de diáconos permanentes, importante serviço que hoje é uma realidade na diocese”.
O bispo emérito também “trouxe para a diocese da Guarda a comunidade contemplativa das Irmãs Carmelitas, em meados dos anos 90 do século passado, e mandou construir para elas o Convento da Santíssima Trindade”.
“A experiência pastoral de pároco e de vigário geral que trouxe da sua diocese de origem, a diocese de Aveiro, em muito ajudou o bom trabalho desenvolvido entre nós”, conclui Manuel Felício.
O bispo emérito da Guarda, António dos Santos, morreu na segunda-feira, pelas 19:30, no Hospital Sousa Martins, onde estava internado.
António dos Santos nasceu a 14 de abril de 1932, no concelho de Vagos, e foi ordenado presbítero em 01 de julho de 1956, em Albergaria-a-Velha.
Entre 1976 e 1979 exerceu as funções de bispo auxiliar na diocese de Aveiro e em 17 de novembro de 1979 foi nomeado bispo da Guarda, mantendo-se em atividade até 01 de dezembro de 2005, altura em que resignou, por motivos de saúde, tendo sido substituído por Manuel Felício, lembra a diocese da Guarda.
A diocese assinalou os 60 anos de ordenação sacerdotal do bispo emérito da Guarda, no dia 01 de julho de 2016.
O corpo do prelado diocesano será velado na igreja da Misericórdia e as exéquias solenes serão realizadas na Sé da Guarda, na quarta-feira, às 15:00, seguindo depois o cortejo fúnebre para a sua terra natal, na paróquia de Santo António de Vagos, na região de Aveiro.
O bispo da Guarda, Manuel Felício, enviou uma mensagem a todos os padres da diocese a quem pediu que, no dia de hoje, toquem os sinos “de cada Igreja Paroquial para assinalar o falecimento” de António dos Santos.

 

(Com Lusa)