O Papa Francisco destacou hoje no Vaticano o papel de “acolhimento e serviço” das mulheres nas primeiras comunidades cristãs, numa catequese dedicada à chegada do Cristianismo ao continente europeu.

“Graças a este acolhimento feminino, floresceram as ‘domus ecclesiae’, as igrejas domésticas, entre os primeiros cristãos”, declarou, durante a audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro.

A intervenção abordou uma passagem do livro bíblico dos Atos dos Apóstolos, relativa ao Batismo de Lídia, pelo apóstolo São Paulo, ao chegar à Macedónia do Norte.

“Uma vez que o coração de Lídia se abriu, pôde acolher Cristo através do Batismo, juntamente com a sua família, e abriu a sua casa aos outros Apóstolos. Esta hospitalidade de Lídia lembra-nos o acolhimento e o serviço que caraterizavam as mulheres que acompanhavam Jesus e os Apóstolos”, disse Francisco.

O Papa destacou que a entrada de Paulo à cidade de Filipos, colónia romana da Macedónia, testemunha “a chegada do cristianismo à Europa, o início de um processo de inculturação que dura ainda hoje”.

“Peçamos também nós hoje ao Espírito Santo um coração aberto, sensível a Deus e hospitaleiro aos irmãos, como o de Lídia, e uma fé audaz, como a de Paulo e Silas, e também uma abertura de coração”, apelou.

Francisco saudou os peregrinos de língua portuguesa: “Agradeço a vossa presença e encorajo-vos a continuar a dar o vosso fiel testemunho cristão na sociedade. Deixai-vos guiar pelo Espírito Santo para crescerdes repletos dos seus frutos”.

A audiência geral desta semana ficou marcada pela devolução de uma cópia da imagem da Virgen de Luján que tinha sido retirada por tropas britânicas na guerra Falkland-Malvinas, pelo ordinário militar da Grã-Bretanha, D. Paul James Mason, ao seu homólogo argentino, D. Santiago Olivera.

(Com Ecclesia)