Responsáveis portugueses foram ao Vaticano entregar a publicação a Francisco

O Papa Francisco mostrou-se hoje “encantado” por receber a «Obra Completa do Padre Vieira» que lhe foi oferecida por uma delegação portuguesa, esta manhã, na Praça de São Pedro.

Segundo um dos coordenadores da edição, o historiador José Eduardo Franco, o Papa argentino, que é jesuíta tal como o padre António Vieira, confessou que já tinha “ouvido falar” do religioso português do século XVII.

Cerca de 15 mil páginas foram reunidas, por uma equipa multidisciplinar de paleógrafos, latinistas, linguistas, filósofos, historiadores, teólogos, juristas, cientistas literários, entre outros especialistas, e agora compiladas em 30 volumes, oferecidos a Francisco.

A comitiva portuguesa, composta por 15 pessoas, também entregou a obra completa ao atual responsável mundial dos jesuítas, padre Adolfo Nicolás, e “está em equação” a oferta deste conjunto de livros ao Papa emérito, Bento XVI.

A obra completa deste ilustre “jesuíta e grande figura da literatura portuguesa” foi um projeto de investigação “monumental” porque o padre António Vieira “merece ser internacionalizado e valorizado”, sublinhou José Eduardo Franco, em declarações à Agência ECCLESIA.

O especialista traça alguns paralelismos entre Vieira e o Papa argentino, considerando que “experiências extremas” fizeram destes dois jesuítas pessoas “frontais e capazes de denunciar as injustiças”.

O reitor emérito da Universidade de Lisboa, António Nóvoa, acompanhado do atual António Cruz Serra, liderou a comitiva portuguesa que contou com membros do Conselho de Administração e da Direção Editorial do Círculo de Leitores, assim como membros da comissão coordenadora do projeto Vieira Global.

A obra vai ser apresentada pelo bispo português delegado no Conselho Pontifício da Cultura, D. Carlos Azevedo, a partir das 18h30 (menos uma em Lisboa), no Instituto Português de Santo António de Roma, “onde Vieira pregou importantes sermões”.

A editora destaca o “magno valor” da publicação considerada um “feito histórico no quadro da história da edição em Portugal”.

A obra completa do padre António Vieira foi lançada em dezembro, na Aula Magna em Lisboa, após um trabalho pesquisa, recolha, interpretação e autenticação de milhares de documentos provenientes de arquivos e bibliotecas portuguesas e estrangeiras.

O projeto “Vieira Global” vai incluir no futuro a concretização de um Dicionário Multimédia de Vieira, pensado sobretudo para as escolas e para as novas gerações; e a edição e tradução das obras mais emblemáticas do sacerdote e pregador jesuíta em 12 línguas, incluindo o árabe e mandarim.

A edição da ‘Obra Completa Padre António Vieira’, uma publicação do Círculo de Leitores sob a égide da Universidade de Lisboa, é dirigida por José Eduardo Franco e Pedro Calafate e tem como mecenas principal a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O padre António Vieira, jesuíta português do século XVII, foi hoje recordado em Roma, onde viveu entre novembro de 1669 e maio de 1675, como “um dos maiores nomes da cultura luso-brasileira”, por D. Carlos Azevedo.

“O empreendimento da obra completa do ‘maior artista da língua portuguesa’, no dizer de Pessoa, permite, finalmente, o retrato pleno de uma personalidade de faces múltiplas, de olhares ousados, expressivos, concretos e visionários”, declarou D. Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício da Cultura, numa apresentação que decorreu na igreja de Santo António dos portugueses.

Segundo o prelado, Vieira fez da língua “espada para questionar poderosos” e recorreu à retórica para “zurzir consciências sem liberdade”.

“Com eloquência vibrante, defendeu indefesos e lutou por ideais aplicados ao concreto histórico no qual vivia”, acrescentou, numa igreja em que António Vieira pregou por diversas vezes.

Segundo D. Carlos Azevedo, a “espantosa existência de Vieira” dinamizou a sociedade do seu tempo “com capacidade de intervenção e criteriosa reflexão”, deixando votos de que esta iniciativa editorial leve a novas investigações sobre a figura do religioso jesuíta.

O projeto “Vieira Global” vai incluir no futuro a concretização de um Dicionário Multimédia de Vieira, pensado sobretudo para as escolas e para as novas gerações; e a edição e tradução das obras mais emblemáticas do sacerdote e pregador jesuíta em 12 línguas, incluindo o árabe e mandarim.

CR/Ecclesia