Francisco pede ação da comunidade internacional para evitar novas tragédias

O Papa Francisco lamentou hoje no Vaticano o “dramático naufrágio” que esta quinta-feira provocou dezenas de mortos e desaparecidos, no Mediterrâneo.

“Recebi com dor a notícia do dramático naufrágio que aconteceu nos últimos dias, nas águas do Mediterrâneo, no qual perderam a vida dezenas de migrantes, entre eles mulheres e crianças”, disse, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do ângelus.

Cerca de 145 pessoas foram resgatadas após o pior naufrágio do ano no Mediterrâneo, que envolveu mais do que uma embarcação, ocorrido na quinta-feira, com migrantes que procuravam chegar à Europa; já foram recuperados 62 corpos e várias dezenas de pessoas estão dadas como desaparecidas, segundo a Organização Internacional para as Migrações.

O Papa pediu que a comunidade internacional decida agir “com prontidão e determinação” para evitar a repetição de “tais tragédias”, garantindo a segurança e a dignidade de todos.

Francisco rezou em silêncio, com os peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, pelas vítimas e suas famílias, desafiando os presentes a uma reflexão: “Pai, porquê?”.

Antes, o pontífice tinha falado sobre a oração do Pai-Nosso, que considerou “o presente mais precioso” de Jesus, revelando a “paternidade de Deus”.

“A oração que o Senhor nos ensinou é a síntese de toda a oração, que dirigimos ao Pai sempre em comunhão com os irmãos”, declarou.

(Com Ecclesia)