O Papa vai presidir no dia 31 de maio à recitação do Rosário pela paz na Ucrânia e no mundo, na Basílica de Santa Maria Maior em Roma, em ligação com santuários internacionais, incluindo Fátima.

Em comunicado divulgado esta manhã, o Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização (Sant Sé) refere que, “na conclusão do mês mariano, o Papa Francisco deseja oferecer um sinal de esperança ao mundo, que sofre pelo conflito na Ucrânia, e se encontra profundamente ferido pela violência dos muitos cenários de guerra em várias partes do mundo”.

“Como sinal de proximidade com os mais envolvidos na dinâmica desses trágicos eventos foram convidados a rezar as dezenas do Rosário, uma família ucraniana, pessoas ligadas às vítimas de guerra e um grupo de capelães militares com as suas respetivas corporações”, acrescenta a nota enviada à Agência ECCLESIA.

A oração em Roma vai decorrer diante da imagem de Nossa Senhora Rainha da Paz, encomendada por Bento XV, ao escultor Guido Galli, para pedir à Virgem Maria o fim da I Guerra Mundial em 1918.

O Papa Francisco colocará uma coroa de flores aos pés da imagem antes de dirigir a sua oração a Nossa Senhora e deixar a sua intenção particular.

Na celebração vão marcar presença crianças que receberam os sacramentos da Primeira Comunhão e da Confirmação nas últimas semanas, escuteiros, famílias da comunidade ucraniana de Roma, representantes da Juventude Ardente Mariana Ordinária (GAM), membros do Corpo de Gendarmaria do Vaticano e da Guarda Suíça, além de fiéis das três paróquias de Roma intituladas à Nossa Senhora Rainha da Paz, juntamente com membros da Cúria Romana.

A Santa Sé destaca o envolvimento de santuários internacionais de todo o mundo, entre eles o de Fátima, e de algumas catedrais localizadas em países “ainda em guerra ou com forte instabilidade política”.

Estes santuários vão acolher a recitação do Rosário, em ligação direta com Roma e com a celebração presidida pelo Papa.

Além da Cova da Iria, a iniciativa internacional passa pela Ucrânia, Iraque, Síria, Barém, Coreia do Sul, Lourdes (França), Czestochowa (Polónia), Loreto (Itália), Guadalupe (México) ou Knock (Irlanda), entre outros.

“Todos os fiéis em todas as partes do mundo são convidados a apoiar o Papa Francisco na oração à Rainha da Paz”, indica a nota da Santa Sé.

A 25 de março, o Papa promoveu um Ato de Consagração ao Imaculado Coração de Maria, a que presidiu no Vaticano, em ligação a Fátima, invocando a paz, particularmente na Ucrânia e Rússia.

(Com Ecclesia)