Número ultrapassa as expectativas do Vaticano, que destaca a «incrível» adesão que o Ano Santo tem gerado junto das comunidades católicas

O número de sacerdotes que vão ser enviados pelo Papa este ano como “missionários da misericórdia”, no âmbito do Ano Santo, superou as expectativas traçadas pela Santa Sé.

Em conferência de imprensa hoje no Vaticano, o presidente do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização, adiantou que “serão 1071 os missionários da misericórdia” que irão ser chamados a “exprimir a beleza do perdão de Deus” em todos os continentes.

Estes sacerdotes terão também a faculdade de perdoar pecados “reservados”, ou seja, que só podem ser perdoados pela Santa Sé (Penitenciária Apostólica), como a profanação da Eucaristia, a violação do sigilo sacramental (por parte de um sacerdote) ou a violência física contra o Papa, por exemplo.

Por outro lado, como já tinha sido anunciado, durante todo o Ano Santo extraordinário qualquer sacerdote vai poder absolver o pecado do aborto, uma faculdade atualmente concedida aos bispos, que a podem delegar a penitenciários de algumas basílicas e santuários. D.Rino Fisichella agradeceu o empenho das dioceses e dos bispos de todo o mundo em “superarem o número missionários da misericórdia que a Santa Sé havia traçado”.

Grande parte destes 1071 sacerdotes vão estar em Roma no próximo dia 9 de fevereiro, na Quarta-feira de Cinzas, celebração que marca o início da Quaresma, para receberem do Papa Francisco o “mandato” para a sua missão.

O presidente do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização salientou que estes padres “serão sobretudo, sinais vivos de um Deus-Pai empenhado em acolher no seu regaço todos quantos procuram o perdão”.

“Eles serão missionários da misericórdia porque estarão no meio das pessoas como facilitadores do verdadeiro encontro humano, fontes de libertação, ricos em responsabilidade para ultrapassarem obstáculos e levarem de novo às pessoas a vida nova do Batismo”, acrescentou D. Rino Fisichella.

Antes do envio dos 1071 missionários da misericórdia, o Papa Francisco vai promover este sábado, dia 30 de janeiro, a primeira audiência jubilar com os peregrinos, na Praça de São Pedro.

De acordo com o arcebispo italiano, esta será “uma audiência especial”, para lá das habituais audiências públicas das quartas-feiras, e corresponde ao desejo do Papa em “acolher com generosidade ao número elevado de peregrinos que querem ir ao seu encontro”.

“Para esta primeira audiência estão já inscritas mais de 20 mil pessoas”, frisou o representante da Santa Sé, que destacou a “incrível” adesão que o Ano da Misericórdia tem tido em todo o mundo, junto das comunidades católicas.

Uma realidade que, para D. Rino Fisichella, mostra “a perspicácia do Papa Francisco” ao convocar este “Jubileu Extraordinário”, que veio “responder verdadeiramente às necessidades das pessoas de Deus, que estão a receber este evento de graça com grande alegria e entusiasmo”.

Na conferência de imprensa de apresentação dos “missionários da misericórdia”, foi também apresentado o programa da exposição em Roma, aos peregrinos, das relíquias do santo padre Pio e São Leopoldo, dois santos confessores, escolhidos pelo Papa como figuras do Jubileu da Misericórdia.

Iniciativa que “permitirá a milhares de peregrinos exprimirem a sua devoção aos dois santos e reencontrarem a consolação através da sua intercessão”, apontou D. Rino Fisichella.