Iniciativa insere-se no âmbito do 60º aniversário da sua ordenação sacerdotal

No ano em que completa o 60º aniversário da ordenação sacerdotal, o Padre Raimundo Bulcão vai ser homenageado pela paróquia dos Flamengos a última que serviu como pároco.

A homenagem começa às 18h45 desta sexta feira com uma receção no adro da igreja dos Flamengos pela filarmónica Nova Artista Flamenguense. Às 19h00 será concelebrada uma missa de ação de graças, seguindo-se um jantar no polivalente dos Flamengos.

O bispo de Angra, numa mensagem enviada a felicitar o sacerdote pelos 60 anos de vida sacerdotal, lembra que o momento “É motivo de alegria e acção de graças pela fidelidade ao chamamento divino exercido na missão que ao longo destes anos lhe foi confiada”.

“Venho, associar-me, em meu nome e em nome de toda a diocese de Angra, à sua alegria e acção de graças ao Senhor que chama e envia em missão” sublinha D. João Lavrador.

O prelado destaca a “dedicação e capacidade de renovação, de fidelidade e entrega total ao serviço de Deus e dos irmãos” que “fazem dele um exemplo de bom pastor para nós hoje”.

“O Senhor Padre Raimundo, ordenado ainda antes do Concilio Ecuménico Vaticano II, não poupou esforços e capacidades para assumir a doutrina conciliar e por ela nortear a sua missão pastoral. Torna-se, assim, para nós um estimulo a aprofundarmos cada vez mais as exigências pastorais do Concilio Vaticano II e a decididamente deixarmo-nos renovar, a nós e às comunidades cristãs, à sua luz e através das suas orientações” refere D. João Lavrador.

“Homem do seu tempo, o Senhor Padre Raimundo que viveu grandes desafios do século passado e já neste século, soube ser portador de esperança contagiando todos aqueles que com ele contactaram”, prossegue.

Natural da ilha do Faial, o Pe. Raimundo foi ordenado sacerdote na Sé Catedral de Angra a 21 de Abril do ano de 1957. Paroquiou na Conceição de Angra e em Santo Amaro, na ilha de São Jorge, tendo chegado à Vila da Madalena em Outubro de 1967, onde esteve durante 29 anos. Em 1996 deixou a ilha do Pico e fixou-se na ilha do Faial, sua terra natal, paroquiando nas Paróquias da Conceição, Praia do Almoxarife e por fim  nos Flamengos, onde continua o seu apostolado.

Nas quase três décadas que esteve na ilha montanha foi Ouvidor Eclesiástico da Madalena e Vigário Episcopal para a ilha do Pico. Além da Paróquia Matriz da Madalena assumiu também outras paróquias da então Ouvidoria da Madalena, por vagarem as mesmas, nomeadamente as Paróquias das Bandeiras, Criação Velha, Candelária e São Mateus.