Semanário de Vila Franca é um dos dois jornais católicos da diocese de Angra

O Padre José Paulo Machado é desde este mês de janeiro o novo diretor do jornal A Crença, propriedade da Igreja Matriz de Vila Franca do Campo, sucedendo ao Pe. António Cassiano, que ocupou o lugar durante mais de 15 anos.

Numa entrevista ao programa de Rádio Igreja Açores,  o sacerdote, que regressou à diocese este ano pastoral, depois de ter concluído o doutoramento em Ciências da Comunicação na Universidade Católica de Lisboa, perspectivava o futuro do jornal do ponto de vista da sua distribuição.

“É um jornal que está muito nos afetos dos vilafranquenses, e portanto conta com a colaboração de muita gente a nivel local, mas que também reúne muita simpatia na ilha de São Miguel” adianta o sacerdote sublinhando que “a grande aposta será expandir A Crença para a ilha”.

“Vamos estudar a melhor forma de o fazer. Como todos sabem o papel está em crise mas nós vamos estudar a possibilidade de compaginar a versão digital com a escrita” adianta ainda o novo diretor de A Crença.

Já no passado mês de novembro, numa entrevista ao Igreja Açores, o sacerdote tinha referido a existência de “sinais de esperança” para levar este projecto para a frente, “cumprindo os desígnios dos seus fundadores”.

” O nosso principal objetivo é honrar o peso histórico de um jornal, que é o único sobrevivente da imprensa católica na principal ilha do arquipélago, e se o jornal é centenário é porque alguma coisa tem de bom senão já tinha acabado” refere nestas declarações já como diretor do jornal A Crença e que pode ouvir no programa de rádio Igreja Açores, que vai para o ar este domingo depois do meio dia na Antena 1 Açores e no Rádio Clube de Angra.

Neste conversa com o Igreja Açores, o Pe. José Paulo Machado deixa ainda um voto de confiança e apreço pela equipa “que dá o corpo ao manifesto” e “se entrega de alma e coração” à produção deste jornal.

O jornal A Crença é semanário e celebra este ano 104 anos. Trata-se de um dos dois jornais católicos na Diocese de Angra, fundado no dia 19 de Dezembro de 1915 pelos padres Ernesto Ferreira e João de Melo Bulhões.