Padre Hélder Miranda Alexandre escreve texto no Igreja Açores e deixa mensagem clara: mais padres representam “um potencial de esperança” para a diocese

A ordenação presbiteral dos três diáconos António Santos, João Silva e Jorge Sousa é mais uma “ocasião de graça e de esperança” para a Igreja Diocesana e espera-se que eles sejam “tecedores de fraternidade” estando disponíveis para a missão refere o reitor do Seminário Episcopal num artigo de opinião publicado aqui no Sítio Igreja Açores.

“Precisa-se que os novos padres sejam tecedores de fraternidade, dentro e fora da Igreja. Os jovens sacerdotes não podem crescer com divisões, contendas e críticas mordazes, mas no acolhimento, compreensão e perdão dos irmãos mais velhos, aceitando a correção fraterna. Claro que hão-de falhar. A Igreja não é de perfeitos, mas de pecadores em caminho, sonhadores e anunciadores do Evangelho”, afirma o responsável pela formação dos novos sacerdotes na diocese de Angra, padre Hélder Miranda Alexandre.

O sacerdote afirma que o caminho trilhado por estes três jovens “é prova de que são capazes para a missão que lhes vai ser confiada” apesar das dificuldades e do amadurecimento “ por vezes árduo, mas confiante”.

“Não estão completamente “acabados”, mas preparados para a realidade. Estou profundamente convencido disso” salienta sublinhando o “potencial de esperança e serviço” que estas ordenações representam.

“Quando lamentamos a nossa, esquecemos outras realidades mais espinhosas. Podemos até correr o risco de crueldade, disfarçada de crítica” frisa.

O reitor, citando as três entrevistas feitas pelos três diáconos ao Igreja Açores- Sitio e programa de rádio-, nas últimas três semanas alerta para a necessidade de uma certa felicidade e amor que deve presidir ao ministério dos novos sacerdotes: “ que sejam felizes e que amem as comunidades que servirão. Só se é padre por causa e à maneira de Jesus. Tudo o resto vem por acréscimo”.

E, depois interpela: “Dificuldades? Hão-de surgir muitas! Foi isso que o Senhor prometeu aos discípulos. Quem quer consagrar a sua vida, tem de estar preparado para isso e saber sentir que o Domingo de Ramos e a Sexta-Feira Santa acontecem na mesma semana”, esclarece desafiando os jovens candidatos ao sacerdócio a deixarem-se “seduzir e conduzir”.

“O sacerdote é um homem apaixonado por Jesus, que une a sua existência para sempre à Igreja. A partir do altar e do ambão, torna-o servidor da Palavra e testemunha de comunhão” avança o sacerdote que destaca como qualidades indispensáveis para a missão: “a escuta das alegrias e dores, dos sucessos e desilusões”, a capacidade de ser “amigo e educador das novas gerações, tendo a família entre as principais atenções pastorais” e a obrigatoriedade de ser capaz de ler os sinais dos tempos “com inteligência e confiança”.

A ordenação dos três alunos do Seminário decorre domingo, às 16h00, na igreja de São José em Ponta Delgada e tem transmissão em direto na página do facebook do sítio Igreja Açores.

Os três diáconos são naturais de São Miguel: Jorge Sousa, de Ponta Garça (Vila Franca do Campo); António Santos das Furnas (Povoação) e João Silva dos Mosteiros (Ponta Delgada)