Instituição foi distinguida pelo município do Ponta Delgada com Medalha de Ouro

O Seminário Episcopal de Angra “é o responsável pela formação de inúmeras pessoas com honra e de carácter com as quias contamos todos os dias” disse esta tarde o presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada na cerimónia de atribuição da Medalha de Ouro do Município ao Seminário Episcopal de Angra, para assinalar a passagem dos 150 anos da instituição.

“A história do Seminário Episcopal em Ponta Delgada distingue a própria história do Município. Uma história de distinção e formação de várias gerações” disse José Manuel Bolieiro sublinhando que “Todos e cada um deles souberam assumir posições de relevo e carácter na vida pessoal e coletiva da cidade e dos Açores”.

O Seminário Episcopal de  Angra foi distinguido com a Medalha de Ouro Municipal pela Câmara de Ponta Delgada, esta quinta feira, por ocasião do encerramento das Festas da Cidade que coincidem com a Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

Em declarações ao Sítio Igreja Açores o Reitor, Cónego Hélder Miranda Alexandre,  diz que o Seminário “ficou muito sensibilizado até porque se trata de uma Câmara onde o Seminário não tem a sua sede”.

Por isso, apesar de “alguma surpresa”, diz o Cónego Hélder Miranda Alexandre, “atribuímos a este gesto um significado ainda maior pois é o reconhecimento e uma distinção para aqueles que aqui foram formados e contribuíram de forma ativa para o desenvolvimento de Ponta Delgada e da própria ilha de São Miguel”.

“O reconhecimento do papel do Seminário na construção da sociedade de Ponta Delgada, quer do ponto de vista social, cultural ou religioso é para nós um motivo de grande satisfação”, concluiu o Reitor que recebeu a insígnia municipal.

De acordo com a deliberação camarária, sob proposta da Comissão Municipal de Toponímia, o Seminário “foi durante muitos anos o que pode considerar-se a única escola de ensino superior que funcionou nos Açores dali saindo, entre outros, dois bispos naturais de São Miguel” nomeadamente D. Manuel de Medeiros Guerreiro, nascido na Lagoa em 1892 e designado Bispo de Meliapor e D. Paulo José Tavares, natural de Rabo de Peixe e designado Bispo de Macau.

Por outro lado, refere a proposta, o Seminário foi o principal responsável pela formação de “centenas de sacerdotes que integraram o corpo docente de várias escolas de São Miguel bem como a Universidade dos Açores”.

A cerimónia teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho e foram distinguidas outras personalidades.

A Medalha de Ouro, a mais alta insígnia municipal, foi entregue também a título póstumo a Augusto Athayde. Foi, igualmente, entregue o diploma de Cidadão Honorário de Ponta Delgada a Francisco Carreiro da Costa (ex presidente da Câmara de Ponta Delgada) e a Medalha de Mérito Municipal a Anthímio de Azevedo e Manuel de Medeiros Ferreira, ambas a título póstumo.

A cerimónia terminou com um breve momento musical por Vania Dilac que interpretou Ilhas de Bruma de Manuel Medeiros Ferreira, um dos homenageados e considerada “um hino da açorianidade”, como referiu José Manuel Bolieiro.