É a primeira vocação açoriana nesta congregação nos últimos anos

Renato Pereira, natural da Vila Nova, na ilha Terceira vai professar solenemente na

Ordem dos Carmelitas Descalços, no próximo dia 14 de dezembro de 2018, pelas 19h00, na comunidade carmelita da Foz do Douro, Porto, com o nome de Frei Renato da Cruz.

Trata-se da primeira vocação carmelita nos Açores desde há já alguns anos.

Frei Renato da Cruz  nasceu a 3 de maio de 1992, na Vila Nova e a sua família e  comunidade cristã foram o berço onde germinou a sua vocação, sublinha uma nota enviada ao Igreja Açores.

“A vida de oração em família, a catequese, o envolvimento nos grupos juvenis foram espaços favoráveis à escuta da voz de Deus que o chamou para consagrar a sua vida inteiramente ao Seu serviço nesta Ordem de Nossa Senhora do Carmo” acrescenta a nota.

Renato Pereira, futuramente Renato da Cruz entrou no postulantado a 15 de outubro de 2010, depois de terminado o ensino secundário e após um processo de acompanhamento e discernimento vocacional, ajudado pelo seu pároco. Foi recebido enquanto iniciava os estudos teológicos no Centro Regional do Porto da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa.

O religioso tomou hábito, a 2 de setembro de 2012, e no dia 31 de agosto do ano seguinte, fez a sua Profissão Temporal. Entre setembro de 2013 e maio de 2015, prosseguiu o seu percurso formativo no Convento Carmelita de Salamanca (Espanha), e os estudos académicos na Universidad Pontificia de Salamanca. Entre 2015 a 2016, é transferido para a comunidade formativa de Madrid e prossegue a formação teológica na Universidad Pontificia de Comillas-Madrid. Em 2016 regressou a Portugal e neste momento encontra-se a na reta final da sua formação académica na Faculdade de Teologia, Centro Regional do Porto, da Universidade Católica Portuguesa.

“Damos graças ao Senhor porque concede mais esta vocação de especial consagração à Sua Igreja e à Ordem dos Carmelitas Descalços” refere a nota da Congregação acrescentando: “ Rezamos pelo Frei Renato da Cruz para que nunca reserve nada para si mas se entregue inteiramente ao Senhor, consumando a consagração batismal, nesta família fundada por Santa Teresa de Jesus e São João da Cruz” sublinha.

Os frades e padres carmelitas descalços privilegiam a vida orante e comunitária mas são de vida apostólica. Vivem em comunidades com cerca de 4 a 5 frades, onde partilham a alegria de terem recebido a mesma vocação e missão. Realizam na Igreja as obras que mais lhes são solicitadas mas privilegiam a promoção da vida espiritual, mediante a orientação de retiros, encontros de oração, casas de espiritualidade…

Os Açores apesar de registarem todos os anos novas entradas para o Seminário têm sido parcos os exemplos de entrega à vida religiosa nos últimos 20 anos.

Maria Rita Ornelas, natural da Sé de Angra, hoje com 29 anos, deixou a educação fisica de que era professora para abraçar a missão de religiosa na Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima.

Professou em fevereiro do ano passado. Nascida na ilha Terceira e tendo sido criada no coração da cidade património, onde fez toda a formação catequética até ao sacramento do Crisma, na Sé de Angra, Maria Rita Ornelas é outro exemplo de adesão recente  à vida religiosa consagrada.