Homilia da Missa, na Casa de Santa Marta, abordou o tema da evangelização enquanto serviço e que é mais do que pregação

O Papa Francisco afirmou hoje na homilia da Missa na Casa de Santa Marta, no Vaticano, que a evangelização não é “simples pregação”, tem de ser “um serviço” e “deve ser gratuita”.

“Não é uma atitude empresarial que Jesus nos manda ter! Com uma atitude empresarial, não!”, afirmou o Papa.

Para Francisco, a verdadeira “coragem da evangelização” não é uma “teimosia humana”, mas fundamenta-se no Espírito Santo.

O Papa acrescentou que a evangelização não é uma “pregação” ou “transmissão” de algumas ideias, mas uma atitude capaz de “transformar os corações”, onde o protagonista é o “Espírito Santo”

Francisco referiu que há “planos pastorais bem feitos, perfeitos”, mas não são “instrumentos de evangelização” porque estão voltados para si mesmos e são “incapazes de transformar os corações”.

O Papa disse também que evangelizar é servir, não pressupõe carreirismos e afirmou que quem deseja “subir na Igreja” não sabe o que é a evangelização.

“É feio quando nos deparamos com evangelizadores que se fazem servir e vivem para serem servidos. É feio. São como príncipes da evangelização”, sublinhou.

De acordo com o serviço de informação do Vaticano, Francisco acrescentou ainda que os agentes pastorais da evangelização devem saber que “a vida deles deve ser gratuita, a serviço, ao anúncio, conduzidos pelo Espírito”.

(Com Ecclesia)