Por  Pe. Jacinto Alberto de Meneses Bento*

De 9 a 16 de agosto de 2015, celebra-se a Semana Nacional de Migrações promovida pela Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana e a OCPM (Obra Católica Portuguesa de Migrações), com os seguintes eventos: Peregrinação dos migrantes ao Santuário de Fátima, nos dias 12 e 13 de agosto, que este ano será presidida por D. Manuel Linda, Bispo das Forças Armadas e da Segurança; reunião dos Secretariados Diocesanos de Migrações, com a presença de alguns missionários, no dia 11 à tarde e 12 de manhã, em que também estará presente o Diretor do Serviço Diocesano para a Mobilidade Humana, da Diocese de Angra; no dia 16 de agosto, são convidadas todas as Paróquias Portuguesas, as comunidades cristãs e as comunidades de Vida Consagrada a celebrar a Eucaristia pelos migrantes e pelo trabalho pastoral que a Igreja Portuguesa desenvolve a favor dos mesmos – pretende-se promover uma participação ativa dos migrantes e emigrantes na Eucaristia. Os promotores da Semana apelam para que se motive os fiéis para a generosidade nos ofertórios que, neste dia, revertem a favor da Pastoral da Mobilidade Humana, a nível nacional e diocesano.

O tema escolhido pela Comissão Episcopal para a Semana das Migrações deste ano foi Igreja Sem Fronteiras – Um Só Corpo. Na sua mensagem, a Comissão diz que “somos por definição uma Igreja aberta ao mundo, por isso sem fronteiras. Somos um só corpo composto por diversos membros, onde Jesus Cristo é o Evangelho em pessoa e o evangelizador por excelência, como nos recorda o Papa Francisco na sua mensagem deste ano para a jornada do migrante e do refugiado”.

A Diretora Nacional da OCPM, Dra. Eugénia Quaresma, a convite do nosso Bispo, D. António Braga, e do Diretor Diocesano, fez uma intervenção, no Conselho Presbiteral, em Ponta Delgada a 21 de Abril de 2015, subordinada ao tema, “Igreja sem Fronteiras Mãe de Todos”. Afirmou que “as migrações interpelam a todos, não só por causa da magnitude do fenómeno, mas também «pelas problemáticas sociais, económicas, políticas, culturais e religiosas que levantam, pelos desafios dramáticos que colocam à comunidade nacional e internacional”» (n.º 62 da Carta Encíclica Caritas in Veritate de Bento XVI de 29 de junho de 2009). A Diretora Nacional, na sua intervenção, apresentou o organigrama nacional da Pastoral da Mobilidade Humana: Obra Católica Portuguesa de Migrações, Obra Nacional da Pastoral dos Ciganos, Obra Nacional do Apostolado do Mar e Obra Nacional da Pastoral do Turismo.

Na Pastoral do Turismo, no último ano, na nossa diocese, fizeram-se algumas peregrinações a Santuários Marianos de Portugal, Espanha, França e Terra Santa. Para o próximo Ano Pastoral, Ano Santo da Misericórdia, estão previstas outras peregrinações à Terra Santa e Santuários Marianos.

A Pastoral das Migrações, na nossa diocese, esteve bem organizada, tendo sido mesmo pioneira em programas escolares de alfabetização para migrantes, com professores voluntários, além de outras iniciativas; no entanto por várias razões – o fato, por exemplo, do Governo Regional ter promovido a execução de alguns programas – o nosso Serviço está em fase de reestruturação.

A Igreja Católica, na verdade não tem fronteiras. Em cada migrante e refugiado encontramos o rosto sofredor de Cristo, e é missão de todos os Seus discípulos acolherem estes irmãos que procuram ansiosamente uma vida mais digna.

 

 

* Diretor do Serviço Diocesano para a Mobilidade Humana,