Colaborador do Sítio Igreja Açores é o entrevistado do programa de Rádio que vai para o ar este domingo no Rádio Clube de Angra e na Antena 1 Açores ao meio dia

Renato Moura, colaborador do Sítio Igreja Açores desde a primeira hora, espera que a diocese de Angra “siga o caminho proposto pelo Papa Francisco” e afirma que o Papa irá reforçar o seu prestigio e o seu papel no mundo em 2018.

Numa entrevista ao programa de Rádio Igreja Açores, que vai para o ar este domingo depois do meio dia no Rádio Clube de Angra e na Antena 1 Açores, sobre as expetativas para a igreja em 2018, Renato Moura fala da igreja universal e da diocesana bem como dos desafios que impendem sobre os jovens e famílias, particularmente este ano em que uns e outros são convidados a desempenhar de novo um papel preponderante na igreja quer com o Sínodo dos Jovens quer com o Encontro Mundial de Famílias.

“A diocese não deixará de acompanhar este caminho proposto pelo Papa Francisco” e “agora que o Senhor Bispo já está mais integrado,  parece-me que se podem aperfeiçoar algumas coisas e que este novo governo diocesano (assente em vigararias) possa dar frutos” afirma Renato Moura.

“Espero, sobretudo, que a diocese revele, no seu todo, abertura para ouvir” precisa lembrando que são grandes os desafios.

Na entrevista fala da admiração que tem pelo papa Francisco que “fundamenta todos os seus apelos no Evangelho e no exemplo de Jesus, reforçando estes apelos com uma atitude humilde e próxima dirigindo-a a católicos e não crentes”.

“Acredito que Francisco é e há de ser cada vez mais respeitado e a sua influência no mundo será consolidada este ano” acrescenta destacando que “Há de vencer o projecto de reforma da Cúria, pondo fim a poderes que não eram serviço e apenas carreirismo”.

Renato Moura fala ainda da linguagem do Papa e das alocuções que profere na luta pela dignidade humana, por um maior humanismo da sociedade e por uma nova atitude da igreja, no sentido da inclusão e da abertura a novas realidades, no diálogo com o mundo.

“Ele faz um esforço permanente para mostrar um Deus que é amigo de todos e sobretudo dos pecadores”, remata.

Na entrevista, Renato Moura fala ainda dos jovens e dos desafios que devem levantar à igreja; da formação de sacerdotes, que deve ser cada vez mais virada para “formar homens que vivam neste mundo”, capazes de responder às perplexidades do mundo atual; dos leigos que devem ser mais comprometidos e de uma igreja ministerial que liberte os pastores para aquilo que é a sua missão.

A entrevista pode ser seguida em direto a partir do meio dia na Antena 1 Açores e no Rádio Clube de Angra no programa igreja Açores que vai para ar imediatamente a seguir à Eucaristia dominical transmitida a partir da Sé de Angra.

(Com Tatiana Ourique)